22º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Bicho pegando - 11/08/2023, 11:51 - João Grassi

Equador barril: candidata à Assembleia Nacional sofre ataque a tiros

Ataque ocorre apenas um dia após Fernando Villavicencio, candidato à presidência, ser assassinado

Estefany Puente foi alvo de um ataque armado na quinta-feira (10)
Estefany Puente foi alvo de um ataque armado na quinta-feira (10) |  Foto: Reprodução/Redes sociais

A candidata à Assembleia Nacional do Equador, Estefany Puente, foi alvo de um ataque armado na quinta-feira (10), de acordo com o jornal local El Universo. O ataque ocorre apenas um dia após Fernando Villavicencio, postulante à presidência do Equador, ser assassinado.

Puente estava no El Club de Leones, uma organização que presta serviços sociais em Quevedo, cidade do Equador localizada na província de Los Ríos.

Segundo a reportagem, ela estava em seu carro, acompanhada do pai e de um funcionário, quando foi surpreendida por dois homens desconhecidos. Eles atiraram contra o para-brisa, do lado do motorista, e em seguida fugiram. Os tiros atingiram de raspão o braço da candidata.

A Polícia investiga o caso para entender a motivação do ataque e também revisou as câmeras de segurança para obter registros do ocorrido. Ninguém foi preso até o momento.

Não há confirmação também de que os mesmos criminosos que mataram o candidato à presidência do país tenham atirado no carro de Estefany Puente.

A candidata faz parte da Alianza Claro Que Se Puede, cujo candidato à presidência é Yaku Pérez Guartambel. A coligação de Villavicencio é o Movimiento Construye, que pode inscrever um novo candidato após a morte do cabeça de chapa.

Candidato à presidência é assassinado

Villavicencio foi morto depois de sofrer três tiros na cabeça ao sair de um comício em uma escola na cidade de Quito, de acordo com autoridades locais.

No último vídeo em que Villavicencio é visto com vida, ele aparece saindo do colégio onde ocorreu o comício cercado por policiais que o ajudam a entrar em um veículo. Antes de fechar a porta, ouvem-se disparos e gritos.

Leia mais:

Polícia do Equador cancela suspeito de matar candidato a presidência

Equador declara estado de exceção após assassinato de presidenciável

exclamção leia também