26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Esporte

Agora aguenta, coração - 23/11/2022, 14:38 - Pedro Moraes - Atualizado em 23/11/2022, 16:44

Jogadores disputam Mundial com ‘olhar’ atento ao coração; entenda

O meio-campista Eriksen, da Dinamarca, e Blind, da Holanda, estrearam no Qatar e não apresentaram problemas

O meio-campista Eriksen, da Dinamarca, e Blind, da Holanda, estrearam no Qatar e não apresentaram problemas
O meio-campista Eriksen, da Dinamarca, e Blind, da Holanda, estrearam no Qatar e não apresentaram problemas |  Foto: Miguel Medina/AFP

Entre as diversas peculiaridades que a Copa do Mundo apresenta, a edição 22, realizada no Qatar entre 20 de novembro e 18 de dezembro, possui um aparelho capaz de dar qualidade de vida durante cada jogo da competição.

Com cardiodesfibriladores implantáveis (CDI), Christian Eriksen, da Dinamarca, e Daley Blind, da Holanda, conseguem atuar com a exposição a todo momento da atuação não só deles dentro de campo quanto dos seus corações, de acordo com informações do ge.globo.

Aos 30 anos, Eriken estreou com a Dinamarca nesta terça-feira, 22, no empate sem gols com a Tunísia. Do mesmo modo, o lateral-esquerdo Daley Blind, que teve sintomas de tontura em 2019, quando enfrentou o Valencia pelo Ajax, na Liga dos Campeões, foi diagnosticado com miocardite, inflamação do miocárdio, o músculo do coração.

Caso mais recente do uso do aparelho no futebol mundial, foi o do meio-campista dinamarquês que sofreu um ataque cardíaco atuando por seu país. Na partida, a equipe enfrentou a Finlândia na Eurocopa 2021, em junho do ano passado. Apesar da ausência da divulgação da doença base, um CDI foi instaurado em seu coração. .

Leia Mais

Tite vai de Vini Júnior e com um Brasil extremamente ofensivo

Alemanha busca recomeço após eliminação traumática na Copa da Rússia

Após o fato, ele ficou afastado dos campos para tratamento, adicionou um CDI e retomou o trabalho normal nos jogos. Ambos receberam autorização dos comitês de saúde responsáveis pela Copa.

Ainda conforme a publicação, eles têm em comum a utilização de cardiodesfibrilador implantável, um desfibrilador subcutâneo para pacientes que possuem uma doença cardíaca de base que gera arritmias cardíacas, e que é implantado na parte inferior da clavícula. Este aparelho aplica um choque no coração quando existe uma taquicardia perigosa ou um uma fibrilação ventricular.

exclamção leia também