31º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Esporte

Esporte para todos - 08/09/2023, 19:41 - Da Redação

Canoa havaiana promove projetos de acessibilidade e inclusão social

Clube é formado com mais de 200 alunos e 10 colaboradores, além de já ter atendido mais de 5 mil pessoas

Kaiaulu Va’a atende crianças a partir de 10 anos, jovens, adultos, idosos, sobreviventes do câncer de mama e PCD´s
Kaiaulu Va’a atende crianças a partir de 10 anos, jovens, adultos, idosos, sobreviventes do câncer de mama e PCD´s |  Foto: Reprodução / Divulgação

Com o intuito de promover o esporte e a acessibilidade, o clube de canoa havaiana Kaiaulu Va’a, localizado Praia da Preguiça, no Comércio, em Salvador, se prepara para inclusão de pessoas surdas. O local já atende crianças a partir de 10 anos, jovens, adultos, idosos, sobreviventes do câncer de mama e PCD´s (deficiente visual e amputados).

Com a preparação receber o público com deficiência auditiva, o clube está realizando a capacitação da equipe para a linguagem em Libra para proporcionar uma maior inclusão. “Estamos propiciando a aprendizagem da Libras a equipe, levando-os a conhecer seus aspectos linguísticos, possibilitando assim uma formação didática inclusiva capacitando-os para o mercado de trabalho, permitindo aos monitores e alunos estabelecerem uma comunicação básica por meio da língua de sinais com surdos. Teremos também acompanhamento de intérprete durante as aulas, para intermediar comunicação e promover acessibilidade entre surdos e ouvintes e entre ouvintes e surdos".

O clube é formado com mais de 200 alunos e 10 colaboradores, já atendeu mais de 5 mil pessoas e é composto por diversos projetos, dentre eles o Remo sem Fronteiras que tem parceria com a Associação de Remo Salvador e busca efetivar os direitos humanos, estimulando a participação e democratização no esporte para pessoas portadoras de deficiência físico-motoras e visual.

“Todos ganham e são beneficiados com a troca de aprendizado, a empresa passa a ter uma responsabilidade social, um dever com a coletividade, e trabalhar a inclusão é uma maneira de cumprir esse dever. Integrar as pessoas com deficiência é possibilitar que esse grupo tenha acesso aos direitos que são garantidos pela Constituição”, conta Lorena Lago, fundadora da Kaiaulu Va’a.

A fundadora acrescenta que o objetivo é capacitar e agregar cada vez mais pessoas. “Queremos capacitar cada vez mais pessoas e despertar o interesse de todos para aprenderem a língua de sinais. Temos muitos projetos e objetivos para expandir a acessibilidade do esporte para todos que tiverem interesse em praticar, utilizando o esporte como uma ferramenta de transformação social, formação cidadã e capacitação profissional”, finaliza.

Veja também:

Ainda sob comando de interino, Tricolor treina de olho no Brasileirão

Focado na missão do Leão, Léo Condé não 'larga o doce' sobre escalação

Faxina tricolor: Bahia anuncia saída de gerente de futebol

exclamção leia também