24º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Como é isso, rapaz? - 04/09/2023, 12:57 - Vinicius Rebouças - Atualizado em 04/09/2023, 14:49

‘Sumido’, proprietário de imóvel caído está internado em hospital

Inquilinos reclamam de falta de assistência

Proprietário diz estar internado em hospital e não atende moradores
Proprietário diz estar internado em hospital e não atende moradores |  Foto: Shirley Stolze/ag. A TARDE

Enquanto os inquilinos buscam nesta segunda-feira (4) uma solução após perderem tudo com o desabamento na noite anterior do prédio em que moravam, na Baixa do Tubo, em Salvador, o proprietário do imóvel está “sumido” para eles.

O desaparecimento foi explicado de forma breve pelo próprio Antônio da Cruz, o Tonino, ao Portal Massa!. “Estou internado aqui no Hospital da Hapvida desde ontem. Fui submetido a um implante de ponte de safena há pouco tempo e a notícia me abalou. Eu poderia ter morrido. Saí de lá cinco minutos antes de acontecer [o desabamento].”

Moradora do último andar, Lucimara Soares reclama da falta de assistência. “O dono não dá um parecer a mim e à outra pessoa que morava no prédio.” Além de uma estofaria no térreo, o prédio de três andares tinha dois apartamentos quarto e sala com aluguéis em torno de R$ 350.

Mais tranquilo, Kleber Santos Júnior já tem na agenda um compromisso na sede da Defesa Civil de Salvador (Codesal). Vai em busca do auxílio-moradia. A cobrança a Tonino fica para depois. “Ainda nem entrei em contato com ele. Até porque quero conversar pessoalmente para saber o que vai ser resolvido. Até o momento ele não apareceu para dar assistência.”

A falta de assistência, segundo o proprietário, mora na desinformação sobre o ocorrido. “Ainda nem sei direito o que aconteceu. Ainda vou procurar a prefeitura para saber, mas só depois”, esquivou.

A versão é rechaçada por Lucimara. “Ele não atende ninguém. Aqui está cheio de olheiros dele, que olham tudo, mandam informação e ele não aparece”, acusou.

As causas do desabamento ainda são desconhecidas. A suspeita inicial recai sobre uma obra irregular de um novo prédio, erguido ao lado. No entanto, em nota, a Codesal informou que o prédio que desabou foi construído irregularmente em cima de um córrego e sem o acompanhamento de técnico habilitado pelo CREA/CAU [Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado da Bahia].

Em nota, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedur) informou que no início da tarde desta segunda (4) uma equipe do órgão estava no local para realizar a remoção dos remanescentes do desabamento, além da retirada do entulho na área. Ainda não há previsão para conclusão do serviço.

O staff do Hospital Hapvida ainda não foi encontrado pelo Portal Massa!.

exclamção leia também