29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Sai, zika! - 31/07/2023, 11:19 - Vinicius Rebouças

Salvador: Agentes de endemias sofrem em meio à alta de casos de dengue

Categoria afirma que tem sofrido com resistência da população para realizar o serviço por causa do fardamento desgastado

Agentes de saúde e endemias querem farda nova
Agentes de saúde e endemias querem farda nova |  Foto: Reprodução/ AACES

Dificuldades para realizar os trabalhos diários, quase sempre recebidos por moradores sob muita desconfiança e com medo de serem confundidos com um impostor e de que o pior aconteça: agressão. Assim tem sido o cotidiano de diversos agentes de saúde e endemias que atuam em Salvador. Tudo isso em meio ao caos da alta de casos de dengue em toda a Bahia.

De acordo com os dados da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), no primeiro semestre deste ano – última atualização no dia 13 de julho –, já foram notificados 31.864 casos prováveis de dengue no estado, um aumento real de 168% se comparado com o mesmo período em 2022.

Na capital baiana, os números são ainda mais assustadores. Do período entre 2 de janeiro e 17 junho de 2023, o número de casos suspeitos de dengue foi 4.690, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), um aumento de mais de 668% em relação ao mesmo período de 2022, que teve 610 casos suspeitos.

“Isso impacta a quantidade de visitas, porque tem locais que a população não aceita ou reconhece o agente comunitário sem a farda. E tem a questão da segurança também”, revelou Enadio Pinto, presidente da Associação dos Agentes Comunitários e de Combate a Endemias de Salvador (AACES), ao Portal MASSA!.

Problemas com o fardamento

Os agentes de saúde e endemias que atuam na capital baiana estão reclamando do atraso de duas parcelas do auxílio fardamento. O sindicato que representa a categoria explicou que o valor foi equacionado para R$ 545, mas o repasse não é feito desde 2022. Antes, os valores por categoria eram, respectivamente, R$ 435,17 e R$ 361,61, conforme previsto na lei municipal 29.482/2019.

Segundo Enadio Pinto, não há previsão para quitação do auxílio atrasado. A expectativa dos trabalhadores era de que a verba atrasada fosse quitada pelo Palácio Thomé de Souza no salário de julho. “Não pagou em 2022 e também em 2023. São dois anos sem novos fardamentos”, contou.

Leia também:

Em seis meses, Bahia registra mais de 35 mil casos de dengue

Feira entra em estado de alerta por aumento de casos de dengue

O presidente da AACES afirmou ainda que o atual fardamento está em péssimas condições. E que pela mecânica do decreto, os servidores devem comprar o fardamento para serem reembolsados. O prazo para apresentação de notas fiscais de fardamento, segundo Enádio, é todo mês de outubro. “Caso não seja apresentada a nota, o valor é descontado do 13º salário. Só que nem recebemos o auxílio”, explicou.

O decreto que prevê o pagamento de auxílio fardamento foi assinado durante a gestão do prefeito ACM Neto (UB) e abrange outras categorias. “A Guarda Civil Municipal (GCM), os agentes de salvamento aquático e a Transalvador já receberam o auxílio. Só os agentes de saúde e endemias que ainda não receberam”, reclama o sindicalista.

O Portal MASSA! entrou em contato com as secretarias de Gestão e de Saúde, mas as solicitações não foram respondidas até o fechamento desta matéria.

exclamção leia também