23º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

DE NOVO - 28/03/2023, 19:24 - Pedro Moraes - Atualizado em 28/03/2023, 19:48

ASSISTA: Aluno tenta esfaquear colegas em escola no RJ e é contido

Após o caso do estudante que matou a professora nem São Paulo, um novo episódio assustou uma unidade educacional

Após o caso do estudante que matou a professora nem São Paulo, um novo episódio assustou uma unidade educacional
Após o caso do estudante que matou a professora nem São Paulo, um novo episódio assustou uma unidade educacional |  Foto: Reprodução/Redes sociais

Um novo caso de ataque de aluno a estudantes e professores aconteceu, desta vez, na Gávea, situada na zona sul do Rio de Janeiro. Neste caso, um aluno, de 15 anos, da Escola Municipal Manoel Cícero, tentou agredir outros estudantes com golpes de faca na tarde desta terça-feira (28).

Por meio das redes sociais, o secretário municipal de Educação do Rio, Renan Ferreirinha, publicou relatos sobre o caso nas suas redes sociais. Conforme o secretário, após notar um comportamento estranho do aluno, a diretora precisou abordá-lo.

Dessa forma, foi quando o adolescente retirou a faca em direção aos colegas da sala. Posteriormente, a diretora conseguiu evitar que ele ferisse alguém.

“Em seguida, ele foi imobilizado por outros profissionais. A escola conseguiu acionar a polícia rapidamente e o aluno está sendo interrogado na delegacia. Nosso agradecimento à diretora Jaqueline e sua espetacular equipe escolar”, relatou Ferreirinha.

Leia Mais

Aluno esfaqueia professoras e colega em escola de SP

Professora imobilizou aluno para salvar vítima em ataque a escola

B.O aponta comportamento agressivo de aluno que atacou escola paulista

No decorrer da ação, o agressor adquiriu um ferimento na cabeça, sem gravidade, e foi encaminhado pelos policiais militares ao Hospital Municipal Miguel Couto, no bairro da Gávea, onde está em atendimento.

Assista:

Além disso, o secretário informou também que a unidade de ensino será acompanhada pelo Programa Interdisciplinar de Apoio às Escolas (Proinape), que integra psicólogos, assistentes sociais e educadores "para amenizar o trauma deste acontecimento".

“Não podemos normalizar atos de violência em nosso país. Precisamos fazer com que a saúde mental seja uma pauta prioritária de discussão nacional”, apontou ele, por meio da publicação.

exclamção leia também