26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

Pau comendo - 22/05/2024, 11:52 - Da Redação - Atualizado em 22/05/2024, 12:59

Operação Hégira alcança 20 cabeças de bonde maligno em Salvador

Um dos mais brabos que a polícia achou foi o ‘China’, apontado como um dos 'comandos' do tráfico

Máquinas caça-níqueis foram apreendidas durante as diligências em bairros de Salvador
Máquinas caça-níqueis foram apreendidas durante as diligências em bairros de Salvador |  Foto: Divulgação/PC

Ações da Operação Hégira, deflagrada pela Polícia Civil, já alcançou 20 integrantes de um bonde maligno nesta quarta-feira (22). Todos os meliantes são periculosos, investigados por tráfico de drogas e homicídios em Salvador. Armas, drogas e máquinas caça-níqueis foram apreendidas durante as diligências.

Segundo as informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), dos 20 mandados judiciais, sete foram cumpridos dentro do xilindró, sendo que um dos presos é Averaldo Ferreira da Silva Filho, o Averaldinho, apontado como chefão do movimento no bairro do Calabar. Já entre os 13 criminosos pegos em um monte de outros bairros da cidade, cinco eram visados por tornozeleira eletrônica. A ação é realizada pelo Departamento de Repressão e Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (Draco).

Um dos mais brabos que a polícia achou foi Augusto César dos Santos Barbosa, o vulgo ‘China’, apontado como um dos 'comandos' do tráfico em Salvador. Ele foi localizado em um cafofo na Barra, resistiu à prisão, e foi de base após trocar bala com os agentes.

‘China’ tinha mandados de prisão rolando na pista, respondendo por quatro homicídios, sendo três como mandante e um como autor, além de tráfico de drogas. Ele também é dono do pitbull que atacou dois cães na Barra e usava o bicho para aterrorizar populares. Outro 'vida loka' que estava com mandado em aberto também foi pego no flagra por tráfico.

Ainda há mais integrantes da organização criminosa, liderada por internos do sistema penitenciário e que fazem parte de um grupo de São Paulo, estão sendo procurados. Além dos mandados de prisão, a Justiça também decretou o bloqueio de contas bancárias e congelamento de ativos financeiros dos investigados.

exclamção leia também