26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

ENTROU NA MIRA - 16/05/2023, 17:34 - Pedro Moraes- Atualizado em 16/05/2023, 18:03

MP-BA denuncia taxista suspeito de assassinar ex e balear sogra

A filha do casal fez um protesto na segunda-feira (15) e proposta alcançou os holofotes do Ministério Público

A filha do casal fez um protesto nesta segunda-feira (15) e proposta alcançou os holofotes do Ministério Público
A filha do casal fez um protesto nesta segunda-feira (15) e proposta alcançou os holofotes do Ministério Público |  Foto: Reprodução/Redes sociais

Pouco menos de um mês do crime, o taxista Saulo Cunha Carneiro, principal suspeito de assassinar a companheira na cidade de São Domingos, município situado a cerca de 230 km de Salvador, entrou no ‘olho do furacão’ e foi denunciado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) na segunda-feira (15).

No mesmo dia, a filha do suspeito mobilizou moradores e pessoas próximas de sua mãe, e realizou um protesto para cobrar a prisão do pai. O homem está foragido, até o momento, da Justiça. O crime teria ocorrido no último dia 19 de abril e está enquadrado como feminicídio.

Identificada como Juliana Rocha de Oliveira, a mulher foi executada a ‘balaços’ dentro da própria casa. O suspeito também acumula a responsabilidade de responder por tentativa de feminicídio. Isso porque a mãe da vítima, Maria Luiza Rocha de Oliveira, também foi atingida pelos tiros.

Leia Mais

Suspeito de espancar e assassinar mulher ‘aumenta’ status de detento

João Gomes revela pressa em ser pai: "Botar mais uma mãe nesse mundo"

Irmãs desaparecem em Salvador após pai proibir namoro de uma delas

Após ser socorrida, ela passa bem. Conforme sinaliza a denúncia do MP-BA, ela “não foi a óbito por motivos alheios à vontade do acusado". O órgão reforça que o crime aconteceu duas semanas depois da separação do casal, que somou 24 anos de ligação íntima.

O suspeito foi preso em flagrante, porém foi liberado no dia 10 de maio, após a Justiça não acatar o pedido de manutenção da prisão preventiva. Dois dias depois, o Ministério Público estadual recorreu da decisão e a Justiça acolheu o pedido na mesma data.

exclamção leia também