25º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

Que situação - 13/12/2022, 15:01 - Pedro Moraes - Atualizado em 13/12/2022, 16:50

Caso rifeiros: Hynara já foi pro xilindró por estelionato; entenda

A rifeira conhecida como Naroka Rifas foi condenada em dezembro de 2019

A rifeira conhecida como Naroka Rifas foi condenada em dezembro de 2019
A rifeira conhecida como Naroka Rifas foi condenada em dezembro de 2019 |  Foto: Reprodução/Instagram/@narokarifas

Após a morte brutal ser constatada no último fim de semana onde foi morta a tiros, a rifeira Hynara Santa Rosa da Silva, popularmente conhecida como Naroka Rifas, acumulava condenação por estelionato em dezembro de 2019. A informação foi publicada pelo site g1. Ela foi assassinada ao lado do companheiro Rodrigo da Silva Santos, também chamado de DG Rifas, em Barra do Jacuípe.

Hynara foi detida por portar um documento falso enquanto tentava realizar um saque dentro de um banco no bairro da Pituba, em Salvador, ainda conforme a publicação. O fato aconteceu no dia 19 de janeiro de 2016. Pelo fato, ela foi condenada a oito meses de reclusão e sete dias-multa, de acordo com o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

Leia Mais

Antes de morrer, rifeiro mandou recado para golpistas na internet

Indignação marca sepultamento do casal de rifeiros

Clientes são saqueados dentro de restaurante na Pituba

Após desbloquear um cartão magnético da conta corrente da vítima, Hynara sacou cerca de R$ 4.500 da conta, conforme indica a sentença observada pelo g1.

Posteriormente, ela saiu da agência para disponibilizar o dinheiro a um comparsa que a aguardava do lado de fora. Em outro momento, Naroka avisou a uma funcionária que voltaria para realizar uma transferência, por meio de TED, a partir da conta da vítima, avaliada em R$ 25 mil.

Devido a ação, o momento levantou suspeita e a vítima foi comunicada do saque por meio de uma mensagem SMS, enviada pelo sistema de segurança do banco. Ao retornar ao banco, a Polícia Militar já estava no local e efetuou a prisão em flagrante. Ela confessou o crime na delegacia.

exclamção leia também