27º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

Deu ruim! - 21/10/2023, 08:53 - Da Redação

Após falar de ministro, PM é punido e obrigado a devolver arma

Soldado teria insinuado que Flávio Dino teria amizade com traficantes do Rio de Janeiro

PM é afastado do Peto após podcast
PM é afastado do Peto após podcast |  Foto: Reprodução/Redes Socias

O soldado Diego Corrêa, integrante da Polícia Militar da Bahia, está sendo punido após dar declarações polêmicas e criticar o ministro da Justiça, Flávio Dino, durante um podcast na Bahia. O agente está proibido de vestir a farda da PM e terá que devolver a arma de fogo pelo prazo de 30 dias.

De acordo com informações que estão circulando nas redes sociais, Diego Corrêa vai responder a um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) por fazer comentários "desrespeitosos" contra o ministro da Justiça, Flávio Dino. Ele teria supostamente insinuado que Dino teria amizade com traficantes do Rio de Janeiro. Além disso, ele estaria sendo investigado por supostamente ter incitado a violência ao dizer que não respeitaria a lei para defender a família.

Leia também:

PM detona deputado baiano: “Acende baseado e acha que tá certo”

O soldado Diego Corrêa, que faz parte do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) da 40ª Companhia Independente da PM, no bairro da Federação, em Salvador, publicou um vídeo nas redes sociais revoltado com a suposta decisão e reafirmando os seus questionamentos direcionados ao ministro da Justiça, Flávio Dino.

Sem arma e farda

“Hoje eu tenho a certeza que o sacrifício é em vão. Eu não tenho condições de melhorar a sociedade. Estou desarmado e afastado do serviço que eu estudei. Estou respondendo por expressar minha opinião como cidadão porque eu perguntei como um ministro entra numa comunidade carioca de altíssima periculosidade sem nenhuma escolta policial e sem carro blindado”, afirmou o PM.

Afastado do Peto

Em seguida, o agente revela que foi afastado do Peto e afirma que não estava conseguindo tirar serviços extras por determinação de algum oficial superior. “Eu tenho quatro filhos para criar e a dificuldade financeira me gerou uma revolta porque enquanto policial nunca fiz conchavo com marginal. A minha postura sempre foi de ir para cima. Hoje eu perdi a fé de que o país vai ser melhor. Eu sei que vou perder minha farda e gostaria que a polícia não tivesse a interferência política”, completou o soldado.

PM se manifesta

Em nota enviada para nossa reportagem, a Polícia Militar da Bahia afirmou que a participação do soldado no podcast será apurada conforme legislação.

Veja o vídeo

exclamção leia também