26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

sentenciados - 18/08/2023, 12:12 - Bruno Dias

Xandão afirma que conduta dos PM's do DF eram "ilícitas e gravíssimas"

Comandante geral da PMDF foi sentenciado e ir 'em cana' pelos atos do 8 de janeiro

Ministrou considerou as denúncias realizadas pela PGR
Ministrou considerou as denúncias realizadas pela PGR |  Foto: Nelson Jr./STF

O ministro do STF, Alexandre de Moraes, justificou a prisão preventiva dos líderes da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), ao afirmar que a conduta dos oficiais em relação aos eventos antidemocráticos acontecidos no 8 de janeiro é considerada ilegal e de extrema gravidade.

Considerando a acusação da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra os agentes militares, o ministro ressaltou, durante decisão divulgada na última quinta (17), que os policiais abusaram de maneira criminosa da infraestrutura da PMDF, buscando desestabilizar a ordem democrática por meio da ocupação de forma agressiva dos edifícios dos órgãos de governo.

Leia mais:

Cúpula da PMDF trocou mensagens comprometedoras sobre golpe

Abin produziu 33 alertas sobre atos golpistas entre 2 e 8 de janeiro

Comandante da PM do DF ‘puxa cana’ por omissão a atos golpistas

“A conduta delitiva dos denunciados, narrada pela Procuradoria-Geral da República, revela-se ilícita e gravíssima, constituindo indevido e criminoso uso da estrutura da Polícia Militar do Distrito Federal com objetivo de romper a ordem democrática, mediante a tomada violenta dos prédios dos Poderes da República”, afirmou Moraes.

A Procuradoria apresentou acusações de crimes por negligência imprópria contra o comandante-geral da PMDF, Klepter Rosa Gonçalves; o ex-comandante-geral Fábio Augusto Vieira; os coronéis Jorge Eduardo Naime Barreto, Paulo José Ferreira de Sousa Bezerra e Marcelo Casimiro Vasconcelos Rodrigues; o major Flávio Silvestre de Alencar e o tenente Rafael Pereira Martins, justificando de que não cumpriram adequadamente suas obrigações como agentes do Estado.

Atendendo à solicitação da PGR, o ministro do STF ordenou que fossem levados para trás das grades: o comandante-geral, Fábio Augusto, Paulo José, Casimiro, Flávio e Rafael, enquanto o coronel Jorge Eduardo Naime e o major Flávio Silvestre de Alencar já se encontram sob prisão.

exclamção leia também