28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Na lata! - 27/10/2022, 09:48 - Cássio Moreira

Robinson Almeida acusa Bruno Reis de acuar trabalhadores da prefeitura

Vídeo em que servidor da Limpurb é flagrado enquanto retira material de campanha de Jerônimo Rodrigues (PT) viralizou nas redes sociais

Deputado Robinson Almeida 'largou o doce'
Deputado Robinson Almeida 'largou o doce' |  Foto: Divulgação

O deputado Robinson Almeida 'largou o doce' contra o prefeito Bruno Reis (União Brasil) após o vídeo em que um funcionário da Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb) retira os materiais de campanha do candidato do PT ao governo da Bahia, Jerônimo Rodrigues, e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disputa o terceiro mandato contra Jair Bolsonaro (PL).

No vídeo, o servidor 'confessa' que está apenas cumprindo ordens da gestão municipal, o que não é permitido. Robinson acusou Bruno de 'apertar' os funcionários para a ação, para favorecer o ex-prefeito, que está em larga desvantagem nas pesquisas de intenção de voto.

“Os trabalhadores estão sendo acuados, obrigados a retirar material do PT, de Jerônimo e Lula, e preservar o de ACM Neto, numa ação orquestrada e planejada pela gestão municipal. É muito grave”, disparou o petista.

Robinson ainda 'escancara' o uso da prefeitura de Salvador como uma espécie de comitê a serviço de ACM Neto.

“O prefeito Bruno Reis fez da prefeitura de Salvador um comitê de campanha do ex-prefeito. É muito grave, irregular, o abuso do poder político com a utilização da prefeitura para favorecer esse candidato. Isso deixa claro também que estão desesperados com a derrota que terão", detonou o deputado, que completou.

“Não sabem separar o público do privado. Essa prática, típica da velha política, desrespeita a legislação e é rejeitada pelos baianos”, finalizou.

A denúncia já está nas mãos do Ministério Público Eleitoral. Desde o início da corrida eleitoral, ACM Neto tem sofrido punições por falsas declarações nas propagandas eleitorais, além de ter sofrido uma punição por usar a Prefeitura na sua campanha.

exclamção leia também