26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Vai ficar para dezembro? - 29/11/2022, 15:36 - Cássio Moreira

Reajuste do IPTU de Salvador deve ser votado apenas em dezembro

Fonte confirma ao A TARDE que a votação do projeto que trata das alterações no IPTU deve ficar para o dia 13 de dezembro

Câmara de Salvador deve levar IPTU para o Plenário Cosme de Farias na segunda semana de dezembro
Câmara de Salvador deve levar IPTU para o Plenário Cosme de Farias na segunda semana de dezembro |  Foto: Antonio Queirós/CMS

A novela do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) de Salvador está longe de ter um final. Se enganou quem acreditou que o projeto do Executivo Municipal seria finalmente votado nesta terça-feira (29). A votação do assunto não apareceu na Ordem do Dia da Casa e deve ficar apenas para o dia 13 de dezembro. As informações são do portal A TARDE.

Segundo o portal, a data, daqui a duas semanas, foi confidenciada por uma fonte. Nas últimas semanas, ficaram explícitas as discordâncias entre a oposição e a Prefeitura. Na última semana, o líder da bancada de oposição, Augusto Vasconcelos (PCdoB), afirmou ao portal Massa! que o projeto não apresenta resolução para as distorções do IPTU.

"O projeto encaminhado pelo prefeito Bruno Reis é insuficiente e não resolve as distorções tributárias na cidade. Então, continuaremos com imóveis idênticos pagando valores completamente diferentes, em razão de uma legislação anacrônica que acabou realizando uma desigualdade tributária absurda", disse na ocasião.

Leia mais

"Não resolve as distorções", diz Vasconcelos sobre projeto do IPTU

Ex-prefeito detona proposta de reajuste do IPTU de Salvador

Já o vereador Edvaldo Brito, que esteve na audiência sobre o tema, na sexta-feira (25), disse que o projeto deve ser aprovado, já que a base vota "cegamente" nas pautas da prefeitura.

"O projeto encaminhado pelo prefeito Bruno Reis é insuficiente e não resolve as distorções tributárias na cidade. Então, continuaremos com imóveis idênticos pagando valores completamente diferentes, em razão de uma legislação anacrônica que acabou realizando uma desigualdade tributária absurda", afirmou.

exclamção leia também