26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

POLÍTICAS PÚBLICAS! - 11/06/2024, 09:08 - Wiliam Falcão - Atualizado em 11/06/2024, 09:42

Olívia Santana pede investimento na educação do "povo mais pobre"

Em entrevista ao Portal Massa!, deputada ressaltou a importância de investir no ensino da rede pública

Deputada afimou que a educação tem que servir a nação
Deputada afimou que a educação tem que servir a nação |  Foto: Divulgação/Alba

A deputada Estadual, Olívia Santana (PCdoB), afirmou que a educação precisa acolher as crianças e adolescentes, especialmente, o povo da favela. A declaração foi dada em entrevista ao Portal Massa!, nesta segunda-feira (10), durante a cerimônia do lançamento da Campanha de Valorização das Escolas.

“O modelo de educação que serve a nação. É aquele que estimula o aprendizado, que desenvolve a ciência, o saber científico, com metodologia democrática, que garanta de fato que os estudantes se apropriem do patrimônio educacional, do conhecimento, e que possa unir cultura, esporte, que seja uma educação acolhedora, que enfrente os desafios do racismo, da discriminação de gênero, que valorize mulheres e homens com igualdade, então essa pra mim seria uma escola inovadora, uma escola que tudo pode acontecer numa perspectiva de desenvolvimento humano em todas as suas potencialidades e de combate a toda forma de discriminação”, disse a parlamentar.

Leia também: Maioria do STF suspende leis municipais que proíbem linguagem neutra

Ela ainda citou o exemplo do Paraná, que recentemente aprovou a privatização da escolas públicas, e destacou que o Estado deve lutar parar garantir um ensino de qualidade. “Então, eu acho triste, lamentável o exemplo do Paraná, que privatizou a educação pública, olha que ponto nós chegamos, e nós temos que lutar é para garantir verdadeiramente uma escola gratuita, pública gratuita e de boa qualidade”, completou.

Já em relação a Campanha de Valorização das Escolas, Olívia Santana ressaltou de fazer a galera da favela sonhar alto. “Jogar para cima os nossos estudantes, porque há sempre um discurso, uma narrativa de desqualificação da escola pública e nós temos que fazer o caminho inverso, é o caminho de que a escola pública é uma estratégia de aprendizado, de abertura de oportunidades para a nossa gente, sobretudo, nosso povo de favela, nosso povo mais pobre”, enfatizou a deputada estadual.

exclamção leia também