25º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Presidenta da Funarte - 31/07/2023, 21:47 - Da Redação

Maria Marighella, celebra os 59 anos do Teatro Vila Velha: "Memória"

Em sua abertura, foi palco para os tropicalistas Gal Costa, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Tom Zé, Gilberto Gil

Vila Velha foi inaugurado em 31 de julho de 1964
Vila Velha foi inaugurado em 31 de julho de 1964 |  Foto: Divulgação / Ascom Maria Marighella

A presidenta da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e vereadora licenciada de Salvador, Maria Marighella, celebrou os 59 anos de existência do Teatro Vila Velha, um dos mais atuantes centros de formação, criação e difusão das artes no Brasil.

Leia mais: FUP celebra nova política de dividendos da Petrobras

Confira: Wagner diz que Lula não entregará pasta do Bolsa Família ao Centrão

Veja também: Presidente do PT-BA revela principal objetivo do partido para 2024

"Todas as honras ao Teatro Vila Velha, esse teatro na Bahia mas do Brasil, das artes, dos artistas brasileiros. O Vila nasce em 1964, em plena ditadura civil-militar, graças à coragem de um grupo de seis estudantes de teatro e muitos sonhos, entre eles o de revolucionar e reduzir as barreiras entre o erudito e popular no teatro baiano", disse Marighella, que completou em seguida.

"O Vila é memória e presente de grupos e artistas que pensaram, pensam o seu tempo, pensam o teatro. E nós acreditamos no teatro, acreditamos na linguagem do teatro, acreditamos nas artes. Como a vida tem seus mistérios, hoje a Funarte lança seu mecanismo de ações continuadas pra fomentar, financiar, proteger espaços artísticos e culturais, grupos, coletivos e também festivais e eventos calendarizados. Esse mecanismo nasce na Bahia e hoje está disponível para todo o Brasil".

Inaugurado em 31 de julho de 1964, o Vila Velha reagiu à ditadura, acolheu artistas e estudantes perseguidos e abrigou encontros do movimento estudantil. Foi também no palco do Vila que foram julgadas e aprovadas as anistias políticas do cineasta Glauber Rocha e do líder político Carlos Marighella.

Em sua abertura, foi chão para os tropicalistas Gal Costa, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Tom Zé, Gilberto Gil.

exclamção leia também