29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

fim da reeleição? - 04/03/2024, 10:27 - Cássio Moreira E Bruno Dias

Jaques Wagner sai em defesa da PEC da reeleição: "Será unanimidade"

Senador da Bahia esteve presente no evento de inauguração do Hospital Ortopédico da Bahia, nesta segunda-feira (4)

Wagner expressa apoio total a PEC da reeleição
Wagner expressa apoio total a PEC da reeleição |  Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

Marcando presença no evento de inauguração do Hospital Ortopédico da Bahia, nesta segunda-feira (4), o senador da Bahia, Jaques Wagner (PT), afirmou, em conversa com o Portal Massa!, que apoiao fim da reeleição.

O político detalhou que defende a nova PEC da reeleição, que limita os mandatos de cada cargo governamental, desde vereador até o presidente. A ideia da emenda foi bem recebida pelos senadores e, caso aprovada, encerraria de vez a possibilidade de um político se reeleger.

"Essa PEC eu diria que tende a ser uma unanimidade. Acho que é um reconhecimento geral que a reeleição não foi um bom instituto para a política brasileira. Evidentemente que tem que se ver como é que você introduz a não reeleição para não ofender direitos ou expectativas de direitos", iniciou ele.

Leia mais:

Rui 'pinta' em Salvador pra inaugurar Hospital Ortopédico do Estado

PF já tem prazo pra finalizar inquéritos contra Bolsonaro; entenda

Eleições: Juazeiro vira alvo do grupo de Jero contra prefeita

Wagner detalhou que o processo de debate para a aceitação da PEC não será por agora. Porém, ele expressou total apoio a modificação do processo eleitoral, de dois para cinco anos, sem a possibilidade de reeleição neste período.

"A tendência dos debates, que é entendido, é jogar ela para 2030. E há uma tese também da coincidência de todas as eleições, de vereador a presidente da república, com a qual eu sou amplamente favorável", disse.

"Eu acho que não dá para de dois em dois anos ter eleição. O que está se conformando é de ser cinco anos de mandato sem reeleição, podendo ou não ter coincidência de todas as eleições num dia só. Aí você teria cinco anos sem a disputa política, podendo cuidar da gestão. Essa é a tendência que está dominando e não vejo ninguém contra", finalizou o petista.

exclamção leia também