31º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

NOVO ficou velho? - 26/11/2022, 14:21 - Cássio Moreira

Fundador, João Amoêdo anuncia saída do NOVO

Empresário foi candidato a presidente da República pela legenda em 2018

Fundador da sigla anuncia desfiliação
Fundador da sigla anuncia desfiliação |  Foto: Marcello Casal Jr I Agência Brasil

Fundador do Partido NOVO, o empresário João Amoêdo anunciou, na sexta-feira (25), sua saída da legenda. Ele justificou os problemas recentes entre ele e a sigla para 'meter o pé'.

Leia mais

Haddad é recebido como 'ministro' da Fazenda em almoço importante

Segundo Amoêdo, o partido fundado em 2011 não existe mais e foi "se desfigurando" sob o atual comando. Candidato a presidente da República pelo NOVO em 2018, quando obteve o quinto lugar, o empresário despertou a fúria dos correligionários ao declarar voto em Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno da eleição presidencial de outubro.

"Hoje, com muito pesar, me desfilio do partido que fundei, financiei e para o qual trabalhei desde 2010. Deixo um agradecimento especial a todos que fizeram parte desse time que com dedicação, humildade e determinação transformaram em realidade o que parecia ser impossível. Infelizmente, o NOVO, fundado em 2011 e pelo qual trabalhamos por mais de 10 anos, não existe mais.

Ao longo dos últimos 33 meses, sob a atual gestão, o NOVO foi sendo desfigurado e se distanciou da sua concepção original de ser uma instituição inovadora que, com visão de longo prazo, sem culto a salvadores da pátria, representava a esperança de algo diferente na política.

O NOVO atual descumpre o próprio estatuto, aparelha a sua Comissão de Ética para calar filiados, faz coligações apenas por interesses eleitorais, idolatra mandatários, não reconhece os erros, ataca os Poderes constituídos da República e estimula ações contra a democracia.

O partido, mesmo com o péssimo desempenho eleitoral, com a perda de milhares de filiados, a saída de inúmeros dirigentes, não esboça qualquer sinal de retomar o caminho original. Ao contrário, a direção da instituição prefere ignorar as evidências, busca silenciar as vozes divergentes, transfere responsabilidades e segue prometendo que “agora será diferente”.

exclamção leia também