28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Martelada do TSE - 30/06/2023, 19:06 - Cássio Moreira - Atualizado em 30/06/2023, 20:02

Emocionada, Dra. Raíssa lamenta inelegibilidade de Bolsonaro; assista

Candidata bolsonarista ao Senado em 2022 grava vídeo de apoio ao ex-presidente

Médica bolsonarista presta solidariedade ao ex-presida
Médica bolsonarista presta solidariedade ao ex-presida |  Foto: Raphael Muller/Ag. A TARDE

Candidata derrotada ao Senado pela Bahia em 2022, Dra. Raíssa Soares (PL), usou as redes sociais na tarde desta sexta-feira (30) para prestar solidariedade ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidir por sua inelegibilidade.

Leia mais

Michelle se declara para Bolsonaro após decisão do TSE

Xandão ‘fecha o caixão’ e vota por inelegibilidade de Bolsonaro

Raíssa, que ganhou fama após fazer um apelo para que o presida enviasse cloroquina para o município de Porto Seguro, com o objetivo de fazer o chamado ‘tratamento precoce’ contra a Covid-19, em 2020, afirmou que o ex-presidente se tornou alvo de uma perseguição. Emocionada, a médica ainda defendeu que Bolsonaro deixou um enorme legado para a política brasileira.

“Quando a gente vai analisar e relembrar a história brasileira, de personalidades que estiveram em cargos públicos e cometeram crimes de corrupção, crimes hediondos, retiraram recurso público [...] A gente não viu ninguém perder o seu direito”, iniciou a médica, que completou.

“Bolsonaro é quase como algo persecutório, vingativo. Ele tem essa penalidade. Presidente Bolsonaro, o senhor não está sozinho, a nossa luta continua. Homens e mulheres de bem, pais e mães de família estão hoje de luto, com o coração entristecido, mas sabendo que o legado que o senhor deixou e o despertar político [...] Esse legado está dado. O senhor não está só e seu legado é vibrante”, finalizou.

Com a decisão da Justiça Eleitoral, Bolsonaro, que foi condenado por abuso de poder, ficará inelegível até 2030. Ao comentar sobre o resultado do julgamento, o ex-cabeça do Planalto disse ter levado uma “facada nas costas”.

Vídeo

exclamção leia também