28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Boato! - 04/11/2022, 18:29 - Cássio Moreira - Atualizado em 04/11/2022, 19:43

Augusto Vasconcelos esfria boatos sobre ser secretário de Jerônimo

Em conversa com o Portal Massa!, vereador de Salvador comenta sobre especulações do seu futuro político

Líder da oposição na Câmara de Salvador, Augusto teve seu nome especulado nos bastidores
Líder da oposição na Câmara de Salvador, Augusto teve seu nome especulado nos bastidores |  Foto: Foto: Divulgação

A transição do governo Rui Costa (PT) para governo Jerônimo Rodrigues (PT) nem começou oficialmente, mas já surgem as primeiras especulações sobre os possíveis secretários da nova gestão estadual. Vereador de Salvador, líder da bancada de oposição, e presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos (PCdoB), que tem sido um dos cotados nos bastidores, esfriou os boatos e negou que tenha recebido qualquer convite até o momento.

Em conversa ao Portal Massa!, Augusto afirmou estar focado na sua atuação na Câmara Municipal da capital baiana e na liderança dos Bancários, e que não sabe como surgiu a conversa sobre assumir uma secretaria estadual a partir de 2023.

"Não sei de onde tem surgido essas especulações. Ninguém conversou nada comigo. Estou focado na minha atuação como Vereador, Ouvidor-Geral da Câmara, Líder da oposição e Presidente do Sindicato dos Bancários", iniciou Augusto.

O vereador ainda pontuou que irá contribuir com o governo Jerônimo independente de ser ou não membro. Ele ainda respondeu que é parte de um projeto coletivo que tem compromisso com as tarefas designadas a ele.

"As pessoas falam comigo sugerindo essa ideia de ir para o governo, mas sempre respondo que irei contribuir com a gestão estadual independente de onde atuar. Essa é uma questão que passa pela direção do meu partido e pelo próprio governador. Sou parte de um projeto coletivo e tenho compromisso com as tarefas que me delegam", afirmou o vereador.

Por Cássio Moreira*

*Sob supervisão da editora Louise Batista

exclamção leia também