26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Entretenimento

Relato de fé - 04/05/2024, 19:47 - Dara Medeiros

A Dama fala sobre processo de iniciação: "O Candomblé me salvou"

Cantora baiana ficou afastada das redes sociais e dos palcos para 'fazer santo'

A Dama do Pagode fez iniciação aos Orixás no Candomblé
A Dama do Pagode fez iniciação aos Orixás no Candomblé |  Foto: Reprodução/Redes Sociais

Depois de passar quase dois meses longe dos palcos e das redes sociais para “fazer santo”, como se diz popularmente o processo de iniciação de uma pessoa aos Orixás, no Candomblé, a cantora Alanna Sarah, conhecida como A Dama do Pagode, voltou à internet. Em um comunicado, a artista expressou os sentimentos sobre a nova fase religiosa e relatou alguma das mudanças que passou e vai passar daqui para frente.

Segundo ela, o momento decisivo para o início do santo foi a virada do ano, quando vários acontecimentos na vida pessoal e profissional dela chegaram em "turbilhão", como a perda dos filhos, que estavam sendo gerados na barriga de Gabriela Messy, namorada dela, e o grande linchamento virtual após criticar uma atitude da cantora Pabllo Vittar. Emocionada, ela falou da importância da fé para seguir em frente: "Eu posso falar isso com muita convicção que eu sou a prova viva de que o Candomblé me salvou, a minha religião me salvou".

Em resposta aos fãs, que ficaram ansiosos em revê-la e curiosos para saber da nova etapa da vida da cantora, A Dama explicou que já era do Candomblé antes, mas demorou para tomar a decisão de fazer a iniciação. "Levou 7 anos para eu tomar essa iniciativa. Levou 7 anos, até porque eu entrei pela dor, não foi pelo amor não. O amor eu comecei a ter com o tempo", contou.

Leia também:

Vídeo: A Dama chora ao desabafar sobre ataques de ódio após polêmica

A Dama aparece no hospital após sofrer ataques da internet

Após perder bebês, A Dama dá pausa na carreira; confira os detalhes

Ela reforçou o fato de que já falava sobre a religião antes, por ser algo que fazia parte da rotina dela: "Vocês que me acompanham aqui, e até os que não me acompanham, sabem que eu sou uma pessoa de muita fé. Sempre fui uma pessoa de muita fé e sempre que aparecia para falar com vocês aqui, em show ou em qualquer outro ambiente, eu sempre falei da vida e das minhas coisas com muita fé. Eu sou muito apegada a isso”.

Mudanças e restrições

Assim como qualquer iniciação ao Candomblé, o processo de Alanna Sarah não foi privilegiado pelo fato dela ser A Dama do Pagode. Com sacrifícios, restrições e muita dedicação, a artista passou e vai passar por renúncias de hábitos.

Ela contou aos seguidores que continuará trabalhando, mas a rotina dela não contará com confortos, luxos e atividades que eram comuns até pouco tempo atrás, como ingerir bebidas alcóolicas, ir à praia e ter relações sexuais. Inclusive, ela passará muito mais tempo na "roça", com saídas para o trabalho, e apenas raras aparições em casa.

Outro fator é que ela se desprendeu da vaidade e raspou a cabeça. Porém, para a surpresa das pessoas que a acompanham, A Dama afirmou que o cabelo já está crescendo novamente. "No dia em que eu aparecer aqui sem turbante, gente, vocês vão ver que o meu cabelo já cresceu. O meu cabelo tem o crescimento muito rápido", explicou.

A pagodeira também disse que não mudará o seu gênero musical e continuará cantando pagodão baiano. "Claro que sim, claro que sim! com certeza. Do nada eu vou deixar de ser A Dama, é? Tem como não", brincou.

Por fim, ela falou sobre tudo o que aprendeu e como se sente bem agora, declarando que o processo tem valido a pena. "Lá eu aprendi a humildade, a humanidade, respeito, hierarquia, cuidado, eu aprendi [o que é] família, eu aprendi a ter um pai de verdade, porque eu tive pai, meu pai faleceu, vocês sabem, só que meu pai não foi um teço do que esse cara é pra mim, do que Babá Indari Sá foi na minha vida e é, até hoje", concluiu.

exclamção leia também