29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Vixe ... - 24/08/2023, 20:11 - Santiago Oliveira- Atualizado em 24/08/2023, 20:51

Mãe de baiano que morreu na Europa descobriu morte de filho pela net

Após passar dias sem conseguir falar com o filho, que não costumava ficar sem dar notícias, Ruth passou a acessar as redes sociais dos amigos dele

Filiphe sofreu AVC e ficou internado por dois dias
Filiphe sofreu AVC e ficou internado por dois dias |  Foto: Redes sociais

A mãe do gastrólogo baiano Filiphe Soares Braga, de 29 anos, Ruth Soares, soube da morte do filho por meio das redes sociais. Filiphe morreu em Malta, país europeu, com morte cerebral após sofrer um Acidente Vascular cerebral (AVC) em 16 de agosto. "Infelizmente, na quarta-feira, depois da nossa última conversa, não consegui mais contato com ele. Eu fiquei o final de semana com aquela preocupação, quem é mãe sabe que a gente sente quando algo está errado", disse Ruth.

Após passar dias sem conseguir falar com o filho, que não costumava ficar sem dar notícias, Ruth passou a acessar as redes sociais dos amigos dele para tentar descobrir o que tinha acontecido. "No domingo, consegui ver uma postagem de um amigo dele, dizendo que Feliphe tinha falecido", lamentou.

A mãe do rapaz não sabia que ele havia sofrido um AVC e sido internado. Desesperada, ela passou a noite de domingo (20) e a madrugada de segunda-feira (21), tentando falar com conhecidos do filho em Malta. Na manhã de segunda, ela conseguiu ligar para um amigo do gastrólogo, que confirmou todas as informações.

Leia mais: Ufba tem nota máxima no Inep e é a melhor do Nordeste

Confira: Grupo Business Bahia comemora cinco anos de criação em almoço especial

Veja também: Gringo desaparecido é encontrado em situação de rua na Barra

Ruth e os familiares de Filiphe tentam trazer o corpo para o Brasil, para que ele seja sepultado e enterrado. Apesar disso, os altos custos do traslado, que chegam a R$ 60 mil, dificultam a operação. Para isso a família abriu uma vaquinha virtual para arrecadar o dinheiro necessário.

“Ele era um menino que foi tentar uma vida melhor, melhorar o estudo, conhecer outra cultura. Eu agradeço a cada um que está ajudando a trazer meu filho para casa", contou.

O prazo dado pelo poder público de Malta para que a família providencie o traslado é até 31 de dezembro deste ano. Depois disso, o sepultamento ocorrerá no país, a cargo do Estado estrangeiro, nos termos da legislação local.

exclamção leia também