28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Viver Bem

Diversão e cura! - 01/09/2023, 06:20 - Amanda Souza

Projeto Leiturinhas é inaugurado no HC das Obras Sociais Irmã Dulce

O projeto é a ambientação de um espaço que se propõe a ser um local lúdico, alegre e especial

Hospital da Criança (HC), das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) inaugura nas suas instalações o projeto Leiturinhas, uma biblioteca lúdica com acervo de 850 novos livros. O projeto vai contemplar pacientes  e acompanhantes
Hospital da Criança (HC), das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) inaugura nas suas instalações o projeto Leiturinhas, uma biblioteca lúdica com acervo de 850 novos livros. O projeto vai contemplar pacientes e acompanhantes |  Foto: Olga Leira / Ag. A Tarde

O Hospital da Criança das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) ganhou um espaço muito importante para a recuperação dos pacientes da casa. Com direito a corte de fita e tudo, foi inaugurado, na manhã dessa quinta-feira (3), o projeto Leiturinhas no Hospital.

O projeto é a ambientação de um espaço que se propõe a ser um local lúdico, alegre e especial, e foi entregue pela CEC Brasil e tem patrocínio da Bayer via Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura. Ao todo, foram entregues 850 livros de diversos gêneros e 60 brinquedos e jogos educativos.

Imagem ilustrativa da imagem Projeto Leiturinhas é inaugurado no HC das Obras Sociais Irmã Dulce
Foto: Olga Leira / Ag. A Tarde

Kaline Rocha, diretora da CEC Brasil, explicou que as tratativas com as Obras Sociais Irmã Dulce começaram há algum tempo para trazer o projeto para a unidade. “A gente já conversava com o Hospital da Criança desde lá atrás, quando fizemos a primeira inauguração na Bahia, no Hospital Aristides Maltez, em 2021”, contou. “Firmamos a proposta porque o que a gente quer é espalhar amor, e a Irmã Dulce pregava exatamente isso”, concluiu.

Kaline contou ainda que o projeto nasceu do pedido de uma criança. “Sempre trabalhamos com escolas públicas, mas em um momento passamos por um hospital e uma criança nos pediu livros”, lembrou. “Assim a gente pensou em levar o projeto de leitura para o hospital. Infelizmente essa criança não está mais entre nós, mas o pedido dela foi atendido”.

A sala de leitura vai atender crianças e jovens de 3 meses a 17 anos de todo o estado da Bahia que recorrem à assistência do Hospital da Criança. O local, com toda cor e diversão, promete ser um espaço que vai dinamizar bastante a rotina do hospital.

Imagem ilustrativa da imagem Projeto Leiturinhas é inaugurado no HC das Obras Sociais Irmã Dulce
Foto: Olga Leira / Ag. A Tarde

Ainda segundo a diretora da CEC, além do espaço e tudo o que ele oferece, os profissionais também foram preparados com capacitações online, permitindo que eles sejam capazes de mediar a leitura no hospital. “Nós oferecemos, além da sala ambientada, curso de alfabetização e contação de histórias”, disse. “Assim, o espaço fica livre e o líder que cuidará dele vai poder trabalhar de diversas maneiras, trazendo saraus, rodas de histórias e outras atividades criativas”, contou.

Imagem ilustrativa da imagem Projeto Leiturinhas é inaugurado no HC das Obras Sociais Irmã Dulce
Foto: Olga Leira / Ag. A Tarde

Projeto pode auxiliar no processo de recuperação

A grande experiência do Leiturinhas no Hospital é promover um ambiente de acolhimento para a criança que está recebendo atendimento médico. Maria Luiza Marques, coordenadora do Hospital da Criança, destacou como esse projeto será importante. “Esse é um espaço que usamos para ajudar as crianças e humanizar o processo da hospitalização. Isso fica mais fácil porque uma criança internada tem medo, tem sofrimento, tem a sensação de não pertencer a esse ambiente porque isso não seria o natural”, explica.

“Então por meio da leitura vamos tentar minimizar esse processo dolorido”, disse. No entanto, mais que isso, ela menciona que todo o contexto será beneficiado. “É muito especial saber que as pessoas têm um olhar humanizado. Em geral estamos falando dos pacientes, mas é importante lembrar que existem equipes por trás deles que também estão sobre tensão e preocupação”, disse.

exclamção leia também