29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Viver Bem

Marco importante - 17/08/2023, 13:24 - João Grassi

Primeira cirurgia de redesignação sexual da Bahia pelo SUS é realizada

Yohana de Santana aguardava pela oportunidade de realizar a cirurgia há mais de dez anos

Yohana de Santana aguardava há mais de 10 anos pela cirurgia transexualizadora através do SUS
Yohana de Santana aguardava há mais de 10 anos pela cirurgia transexualizadora através do SUS |  Foto: Divulgação / UFBA

Um marco importante para a população LGBTQIAP+ ocorreu na quarta-feira (9) passada. A primeira cirurgia transexualizadora pelo Sistema único de Saúde (SUS) foi realizada na Bahia.

A mulher trans, Yohana de Santana, foi operada no Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Hupes), da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Ela é acompanhada desde 2018 pelo Ambulatório Transexualizador do Hupes, mas aguardava pela oportunidade de realizar a cirurgia há mais de dez anos.

No ambulatório do Hospital Universitário, Yohana teve a oportunidade de ser auxiliada por um grupo multiprofissional regular, sendo considerada apta pelas equipes de endocrinologia, psicologia e serviço social para o procedimento cirúrgico.

"É a realização de um sonho. Sinto-me plena. É algo que eu venho buscando desde 2010, mas não tinha meios para fazê-lo. Fico emocionada de saber que sou a primeira mulher trans que realizou a cirurgia no SUS. Espero que seja um começo para tantas outras histórias de mulheres e homens na mesma condição que eu", celebrou.

A cirurgia de redesignação sexual consiste em mudar as características sexuais/genitais de uma pessoa para aquelas socialmente associadas ao gênero com o qual ela se identifica.

A endocrinologista e coordenadora do Ambulatório Transexualizador do Hupes-UFBA/Ebserh, Luciana Oliveira, explicou que o pós-operatório tem algumas orientações específicas, com o uso de hormônios durante alguns anos, possibilitando à mulher trans experimentar as mesmas sensações que mulheres cis - como a menopausa, por exemplo.

Ampliação

Além das cirurgias de redesignação sexual, a partir de agora, o Hupes-UFBA vai poder realizar também outros tipos de procedimentos. Foram pactuadas com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) cirurgias como mamoplastia masculinizadora, histerectomia, tireoplastia e plástica mamária.

A expectativa é de que seja realizado pelo menos um desses procedimentos por mês, enquanto a instituição aguarda o credenciamento do Ministério da Saúde, o que possibilitará ampliar a oferta de cirurgias.

De acordo com o urologista Ubirajara Barroso, que esteve à frente da primeira cirurgia realizada, o Ministério da Saúde adota critérios específicos para a realização dos procedimentos. A pessoa interessada deve ter mais de 21 anos de idade, apresentar - no mínimo - dois anos de acompanhamento psicológico e ser cadastrada em um dos dois serviços especializados de referência na Bahia: Hupes-UFBA ou Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa (Cedap).

O Ambulatório Transexualizador do Hospital Universitário Professor Edgard Santos iniciou suas atividades em 2018. O espaço é voltado para o atendimento clínico a pessoas trans e travestis residentes na Bahia e que buscam acompanhamento. Mais de 400 pacientes já foram atendidos pela equipe do Ambulatório, que é formada por profissionais de endocrinologia, enfermagem, serviço social, psicologia e psiquiatria.

exclamção leia também