28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Viver Bem

Vacina no braço! - 05/12/2022, 06:30 - Priscila Dórea

Criançada ganha mais uma chance para se vacinar contra Covid-19

A 5ª dose de reforço segue exclusivamente para pessoas imussupressas com 18 anos ou mais, além de gestantes e puérperas com esta condição clínica

A mobilização contempla também a 1ª, 2ª, 3ª e 4ª dose da vacina contra a Covid-19 para pessoas com 18 anos ou mais, em esquema Liberou Geral
A mobilização contempla também a 1ª, 2ª, 3ª e 4ª dose da vacina contra a Covid-19 para pessoas com 18 anos ou mais, em esquema Liberou Geral |  Foto: Gilson Abreu

A Prefeitura de Salvador retoma, nesta segunda feira (5), a aplicação da 1ª dose da vacina contra a Covid-19 para crianças de 6 meses até 2 anos com comorbidades. Já a 5ª dose de reforço segue exclusivamente para pessoas imussupressas com 18 anos ou mais, além de gestantes e puérperas com esta condição clínica.

A mobilização contempla também a 1ª, 2ª, 3ª e 4ª dose da vacina contra a Covid-19 para pessoas com 18 anos ou mais, em esquema Liberou Geral, independentemente de ser residente do município, assim como o público geral de Salvador. Hoje segue ainda a vacinação para crianças de 3 a 11 anos com nome na lista do site da SMS e em instituições de ensino da capital baiana

Cenário

Nas últimas 24h, foram registrados 2.712 casos de Covid-19 na Bahia, de acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), além de 1.460 casos recuperados e 12 óbitos. Manter-se vigilante no que diz respeito aos sintomas e se vacinar é a recomendação dos especialistas, enquanto o crescente aumento do número de casos avança e algo parecido com uma nova onda da doença coloca a Bahia em alerta.

Só para se ter uma ideia, no dia 4 de novembro o boletim epidemiológico da Sesab comunicou que apenas 107 casos e 2 óbitos por Covid-19 haviam sido registrados nas últimas 24h na Bahia. Diante do cenário de estabilidade de casos confirmados, no dia 7 de novembro a secretaria informou que os boletins se tornariam semanais. No dia 21 de novembro, 14 dias após esse aviso, a Bahia registrou quase 3 mil casos ativos e no dia 26, a linhagem BQ.1 da ômicron foi oficialmente identificada no estado.

“Está havendo um aumento muito grande do número de casos, uma taxa de transmissão elevada e um aumento do número de hospitalizações, é o que acontece na ausência de uma vacinação completa. Então é muito natural e correto que nesse momento a gente retome as medidas de restrição, assim como o incentivo à vacinação seja ampla. Essas sub-linhagens da ômicron que estão circulando infectam com mais rapidez do que a gama e a beta em 2020 e 2021, por exemplo. O que a gente espera é que a contaminação cresça, mas diminua rapidamente por conta da vacina, do uso de máscara e do distanciamento”, explica a médica infectologista e pesquisadora da Fiocruz, Fernanda Grassi.

.

exclamção leia também