25º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

ISSO É EDUCAÇÃO? - 06/10/2023, 20:56 - Pedro Moraes - Atualizado em 06/10/2023, 22:15

Perseguição: mãe entrega ambiente hostil em colégio de filha

Menina, de oito anos de idade, tem sido vítima constante de pessoas dentro de escola municipal

Menina, de oito anos de idade, tem sido vítima constante de pessoas dentro de escola municipal
Menina, de oito anos de idade, tem sido vítima constante de pessoas dentro de escola municipal |  Foto: Montagem Portal MASSA!//Leitor Portal MASSA!

Educar, cuidar, orientar e amar são funções que necessitam de sabedoria e resiliência para os pais e responsáveis. Sob essas condições, Kelly Carolaine cria a filha, K. M. V, de oito anos de idade. Mesmo com o amor incondicional dentro do lar onde mora, a criança tem sido vítima de um ambiente que deveria ser de paz, mas se transformou em uma vivência sombria.

O Portal MASSA! teve acesso as imagens e vídeos que mostram a menina com marcas de agressões físicas. É que a criança, além de sofrer repressões verbais, teria sido vítima de uma ordem de uma funcionária, identificada pelo prenome Michele, dentro da Escola Municipal Nossa Senhora da Paz, situada no bairro da Paz, na cidade de Salvador.

Em contato com a reportagem, a mamãe detalhou o ocorrido na última terça-feira (3), dentro da unidade educacional. Segundo falas da filha em contato com ela, a colaboradora havia dado uma ordem à filha, porém, após menina se recusar cumprir, a funcionária mandou colegas de sala da menina agredi-la.

“Uma funcionária da escola havia pedido para K. sentar, porém, ela se recusou a fazer, quando foi repreendida pela funcionária. Posteriormente, os outros alunos indagaram a mencionada ‘tia’ se poderiam pegar ela para bater. A funcionária disse que ‘sim, poderiam’. E os meninos passaram a agredi-la com puxões de cabelo e golpes de sandálias. Outra funcionária viu a situação e não impediu e não fez nada, falou com a professora, ela não deu importância e ignorou”, descreve a auxiliar de desenvolvimento infantil, de 26 anos, ao Portal MASSA!.

Leia mais

Menina sofre traumatismo craniano após receber pancadas com régua

Governo cria regras para acolhimento de crianças ameaçadas de morte

Nasce Mavie, filha de Neymar e Bruna Biancardi; saiba detalhes

A professora e a outra funcionária citada não tiveram as identidades reveladas. No entanto, ainda conforme relato da mãe, a docente liberou a criança para sair sozinha da escola sem avisar e sem o acompanhamento de um adulto.

Pegue a visão:

Discriminação

Junto às agressões nesta semana, a filha de Kelly também já viveu outro momento triste dentro da escola. Por possuir alergia dermatológica atópica, a garota já foi vítima de discriminação. Na oportunidade, ela foi alvo da vice-diretora da mesma escola, pelo fato da pele da criança descamar e ter sido proibida de assistir aula dentro da sala.

“Registrei a situação e nada foi resolvido até hoje”, diz ela referente a um fato ocorrido em agosto do ano passado.

“Com essa situação minha filha está sendo prejudicada no seu desenvolvimento e aprendizado. Nem a escola, nem a Secretaria de Educação, deram um suporte psicológico para ajudar minha filha a superar isso”, confessa.

A reportagem do Portal MASSA! entrou em contato com a Secretaria Municipal de Educação para saber mais informações sobre este caso.

Por meio de nota, a SMED alegou que o caso foi encaminhado pela escola ao "Conselho Tutelar" e se solidarizou com a aluna e a família.

Confira a nota na íntegra:

"A Secretaria Municipal da Educação (Smed) não compactua com nenhuma forma de agressão e violência. Ciente do ocorrido, o órgão se solidariza com a aluna e a família. Todas as medidas serão tomadas, inclusive a apuração e devidas responsabilizações. A Smed informa ainda que a gestão da Escola Municipal Nossa Senhora da Paz agiu imediatamente e já encaminhou a denúncia ao Conselho Tutelar. A Smed está acompanhando o caso e, entre outras ações, oferecerá o acompanhamento psicológico emergencial da aluna."

A Polícia Civil da Bahia (PC-BA) também foi procurada. Por meio de nota, a corporação alegou que "investiga a denúncia" e que "foi expedida a guia de exame pericial e foram marcadas a oitiva e o depoimento especial."

Confira a nota na íntegra:

"A Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca) investiga a denúncia de maus-tratos realizada pela mãe de uma criança de 8 anos, que teria sofrido agressão física em uma escola no Bairro da Paz, na última terça-feira (3). Foi expedida a guia de exame pericial e foram marcadas a oitiva e o depoimento especial."

exclamção leia também