25º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

Repreendidos - 17/08/2023, 10:16 - Da Redação- Atualizado em 17/08/2023, 18:34

Pastor e cantora gospel são alvos da PF por financiar atos golpistas

Operação Lesa Pátria cumpre 26 mandados de prisão e busca e apreensão

Atos ocorreu no dia 8/1
Atos ocorreu no dia 8/1 |  Foto: Joedson Alves/Agência Brasil

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira,17, uma nova fase da Operação Lesa Pátria. Entre os alvos de mandados de prisão, estão o pastor Dirlei Paiz, de Blumenau (SC), e a cantora evangélica Fernanda Oliver, de Tocantins. Eles são suspeitos de organizarem e divulgarem a chamada ‘Festa da Selma’ – codinome para a convocação de caravanas a Brasília no fim de semana de 8 de janeiro, quando as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas.

A PF está cumprindo dez mandados de prisão e outros 16 de busca e apreensão em seis estados: Bahia, Distrito Federal, Goiás, Paraíba, Paraná, Santa Catarina. As ações foram determinadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. As informações são do jornal O Globo.

Pastor Dirlei

Dias antes dos atos golpistas, o pastor Dirlei Paiz usou as suas redes sociais para promover as viagens a Brasília, dizendo que aquele fim de semana seria uma "data do povo patriota". Em vídeo postado em 6 de janeiro, ele dá instruções sobre como embarcar em ônibus em cidades catarinenses para ir à capital federal.

De Blumenau, no interior de Santa Catarina, o pastor articulou as caravanas pelas redes sociais, mas acabou não compareceu aos atos em Brasília.

Fernanda Oliver

Com mais de 130 mil seguidores no Instagram, a cantora Fernanda Oliver fez sucesso nos acampamentos golpistas ao gravar uma música que ficou conhecida como o "hino das manifestações". Ela também gravou um vídeo ao vivo do ato golpista de 8 de janeiro, com imagens da passeata na Esplanada dos Ministérios e a invasão ao Congresso Nacional.

Natural de Araguaçu (TO), ela morava em Goiânia, onde foi cumprido o mandado de prisão.

exclamção leia também