28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

operação licuri - 18/05/2023, 10:24 - Bruno Dias

Operação policial captura chefões do tráfico do Rio Sena e Liberdade

A Operação Licuri ocorreu nesta quinta-feira (18) e já apreendeu oito criminosos

DHPP realizou grande operação nos bairros de Salvador
DHPP realizou grande operação nos bairros de Salvador |  Foto: Ascom-PC/ Cândido Silveira

Durante uma ação policial realizada nesta quinta-feira (18), nos bairros do Subúrbio Ferroviário de Salvador, Eric Jeferson Santos Souza, mais conhecido como Mad Max, foi um dos indivíduos que estava na mira da Operação Licuri, conduzida pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Mad Max, que era o chefão do tráfico de drogas nas regiões de Rio Sena e Liberdade, acabou resistindo à prisão, iniciando um fogo cruzado. Ele foi baleado e encaminhado ao Hospital do Subúrbio, porém ele não resistiu aos ferimentos. Além de suas atividades no tráfico, o bandido também estava envolvido em diversos casos de homicídio, atuando tanto como autor quanto como mandante.

Ao decorrer da ação, os policiais também localizaram Antônio Carlos de Oliveira Santos, mais conhecido como Coquito ou Coquinho – a referência do nome da operação. Ele ocupava o cargo de gerente do tráfico no Rio Sena e fazia a gestão das armas para os ataques contra grupos rivais. O suspeito morreu ao ser atingido durante uma troca de tiros com a Coordenação de Operações Especiais (COE).

'Coquinho' e 'Mad max' foram pegos durante a operação
'Coquinho' e 'Mad max' foram pegos durante a operação | Foto: Ascom-PC/ Cândido Silveira

No total, oito investigados foram alcançados, sendo dois deles resistentes e seis presos. Foram cumpridos também 30 mandados de busca e apreensão durante as localidade de Curuzu, Alto da Terezinha, Praia Grande, Sete de Abril, Sussuarana, Uruguai, Ilha Amarela, Plataforma, Itapuã, no município de Simões Filho e na cidade de São Paulo.

Armas também foram apreendidas durante a operação e serão periciadas pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). "Durante a apuração, descobrimos que o grupo estaria comprando armamentos na fronteira do Brasil com o Paraguai. Os alvos alcançados são de altíssima periculosidade e ajudarão o DHPP a desencadear novas investigações sobre o grupo", explicou Andréa Ribeiro, diretora do DHPP.

Um dos indivíduos detidos está sob investigação por envolvimento em crimes contra o patrimônio. Ele, que foi capturado durante a operação no Rio Sena, é suspeito de fazer parte de uma organização criminosa especializada em furtos de celulares em grandes eventos, incluindo o Carnaval do Rio de Janeiro.

exclamção leia também