26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

Justiça em ação! - 13/03/2024, 10:04 - Vinicius Viana- Atualizado em 13/03/2024, 10:50

MP pede que ex-bombeiro vá a júri popular por morte de Marielle

Ex-bombeiro nega as acusações e desmente informações que fazem parte da delação de Élcio de Queiroz

Imagem ilustrativa da imagem

Suel foi preso no ano passado acusado de ter participado das campanas que monitoravam a parlamentar. Ele foi citado na delação do ex-PM Élcio de Queiroz, que também está preso por ter participado do assassinato. O ex-bombeiro nega as acusações e desmente informações que fazem parte da delação do ex-PM.

Além das mortes de Marielle e Anderson, o ex-bombeiro também responde por tentativa de homicídio contra Fernanda Gonçalves Chaves, assessora de Marielle que estava no carro atingido pelos tiros.

A denúncia aponta que Suel monitorava a rotina de Marielle e teria ajudado Lessa e Queiroz no desmanche do carro usado no crime e no sumiço das cápsulas de munição. Além disso, ele teria ajudado os executores a obter uma nova placa para o carro e colaborar na destruição de provas.

No dia 24 de julho do ano passado, Suel foi preso na Operação Élpis, deflagrada pela Polícia Federal e o MPRJ, na primeira operação realizada desde que a PF assumiu as investigações no início de 2023.

Por atrapalhar as investigações, Suel foi condenado em 2021 a 4 anos de prisão e cumpre pena em regime aberto. Em 2020, ele inha sido preso na Operação Submersos II.

De acordo com o MPRJ, Suel e o ex-policial militar Ronnie Lessa, denunciados na primeira fase da operação, lideravam o esquema criminoso. Os dois já estão presos, porque são apontados de participação nas mortes da vereadora e do motorista.

exclamção leia também