26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / segurança pública

Crime - 08/11/2022, 14:35 - Pedro Moraes

Conheça o oficial baiano da Aeronáutica executado a tiros

Ricardo Mendes de Sena foi morto num possível latrocínio, quando estava a campinho do aeroporto

Ricardo Mendes de Sena foi morto num possível latrocínio, quando estava a campinho do aeroporto
Ricardo Mendes de Sena foi morto num possível latrocínio, quando estava a campinho do aeroporto |  Foto: Reprodução/Record TV Itapoan

Um oficial baiano da Aeronáutica foi morto em um possível latrocínio, na última segunda-feira, 8, no município de Campinas, no interior de São Paulo. Identificado como Ricardo Mendes de Sena, de 48 anos, ele morava há dois anos em Brasília. Até ser transferido para a capital federal, ele morava em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), junto a esposa e aos três filhos.

Com a proposta de retomar a vida juntos novamente, os familiares de Ricardo compraram as passagens antecipadamente, para uma viagem que ocorreria à Brasília. No interior de São Paulo, o oficial fazia um curso e seguia rumo ao Aeroporto Internacional de Viracopos quando o carro onde estava foi interceptado por um outro veículo com duas pessoas a bordo.

Ao descerem do automóvel, os suspeitos dispararam contra ele, e, em seguida, subtraíram uma maleta com os seus pertences. Existe a possibilidade do baiano ter sido vítima de um latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Na oportunidade, Ricardo Mendes de Sena estava ao lado de um motorista contratado para levá-lo de um hotel até o embarque, onde pegaria um voo com destino a Brasília.

O militar foi baleado na nuca, enquanto o condutor se feriu de raspão no rosto e conseguiu dirigir até uma base da Polícia Militar, localizada no aeroporto, para pedir ajuda.

“Até agora não dá para acreditar, parece um pesadelo, meu marido era uma pessoa que tinha o prazer de viver, muito prazer naquilo que fazia. Estamos sem chão porque tínhamos muito o que viver [...] Ele estava eufórico e feliz porque viajaríamos para morar juntos”, relatou a esposa da vítima, a funcionária pública Sandra Félix, em entrevista à TV Record Itapoan.

exclamção leia também