26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Na berlinda - 28/08/2023, 11:09 - Eduardo Dias e Lula Bonfim

Possível cassação de Átila do Congo será analisada nesta terça

Vereador de Salvador foi denunciado pelo colega Téo Senna no Conselho de Ética da Câmara

Polêmico, vereador Átila do Congo pode sofrer cassação de mandato
Polêmico, vereador Átila do Congo pode sofrer cassação de mandato |  Foto: Carlos Alberto | Câmara Municipal de Salvador

O Conselho de Ética da Câmara Municipal de Salvador vai avaliar nesta terça-feira (29), às 13h30, a denúncia do vereador Téo Senna (PSDB) contra o colega Átila do Congo (Patriota), com pedido de cassação de mandato.

A informação foi confirmada ao grupo A TARDE pelo presidente do Conselho de Ética, vereador Alexandre Aleluia (PL), na manhã desta segunda (28).

O processo administrativo contra Átila do Congo tem origem na confusão ocorrida no último dia 14 de agosto, na Câmara, quando o vereador partiu para cima de Téo Senna com o dedo em riste.

Átila reclamava de perseguição, com relação aos pareceres contrários assinados por Téo Senna acerca de seus projetos de lei no âmbito da Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Câmara.

"Se você não fosse velho, eu te quebraria na porrada", disse Átila a Téo Senna, no momento da confusão.

Dois dias após o ocorrido, após pedidos dos vereadores Isnard Araújo (PL) e Cláudio Tinoco (União Brasil), Átila foi ao púlpito do plenário da Câmara e pediu desculpas pelo ocorrido.

"Independente de quem começou a confusão ou não, aqui eu falo por mim, ao vereador Téo Senna. Peço desculpas se magoei ou feri com palavras. Independente de quem foi o primeiro erro, eu acredito que acontece, é da vida. Acredito que ele quer melhor para nossa cidade e essa Casa", declarou Átila.

Procurado pelo grupo A TARDE, Téo Senna sinalizou estar irredutível acerca do pedido de cassação. O tucano afirmou que não teve e nem deseja ter uma conversa com Átila, aguardando então uma decisão do Conselho de Ética e da Câmara Municipal de Salvador sobre o assunto.

exclamção leia também