29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Caso da Facada - 19/04/2023, 19:33 - Da Redação

Nova apuração da PF vê ligação entre PCC e Adélio Bispo

PF teria encontrado indícios de pagamento de dinheiro da facção para advogado de Adélio

Nova linha de investigação sobre facada de Bolsonaro teria citado o PCC
Nova linha de investigação sobre facada de Bolsonaro teria citado o PCC |  Foto: Reprodução / Youtube

A Polícia Federal encontrou indícios de que a defesa de Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada em Jair Bolsonaro (PL) em 2018, pode ter sido paga pela facção criminosa PCC, segundo informações publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quarta-feira (19).

A nova investigação apura um dos advogados que defendeu Adélio, de nome Fernando Costa Oliveira Magalhães, que teria recebido dinheiro de membros da facção. O valor teria sido pago dois anos após o ataque contra Bolsonaro.

Leia mais: Lula volta à Bahia em maio, garante Jerônimo Rodrigues

Veja também: Policiais prendem 'aviãozinho' com 30 kg de cocaína em Feira

O advogado nega envolvimento na ação que resultou na facada contra o ex-presidente. Ele ainda diz que os valores recebidos estão relacionados com pagamentos feitos por outros clientes.

A investigação aponta pagamentos que totalizam R$ 315 mil, que foram feitos em 2020 para uma empresa que está no nome do advogado.

Confusão pela facada

O filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o deputado Eduardo Bolsonaro (PL), precisou ser contido por colegas após ameaçar bater no deputado Marcon (PT).

A confusão aconteceu nesta quarta-feira (19), na Câmara dos Deputados, depois que o petista chamou de “fake” a facada recebida por Bolsonaro em 2018, durante a campanha presidencial.

“Te enfio a mão na cara!”, bradou Eduardo Bolsonaro contra o parlamentar do PT. A confusão que foi regada por palavrões do filho 02 do ex-chefe do Executivo acabou registrada em vídeo.

exclamção leia também