29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Posicionamento - 17/08/2023, 11:28 - Cássio Moreira

Jero promete linha dura pra bandidagem: “Polícia não vai ficar refém”

Governador sai em defesa da atuação da Segurança Pública

Jerô afirma que a ordem para Polícia é “trazer os criminosos presos"
Jerô afirma que a ordem para Polícia é “trazer os criminosos presos" |  Foto: Cássio Moreira / Portal MASSA!

O governador Jerônimo Rodrigues (PT) saiu em defesa do trabalho das polícias Civil e Militar da Bahia, durante a visita de inauguração do Hospital 2 de Julho, nesta quinta-feira (17). Segundo Jero, os agentes não ficarão reféns do crime organizado.

Leia também:

Jero promete "zerar" regulação na abertura do Hospital 2 de Julho

“Nós estamos assumindo a responsabilidade que é da Polícia Militar, da Polícia Civil. Nós também envolvemos a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos para entender que não é um tema apenas de polícia, é de direitos humanos. Tive ontem em Brasília, aproveitei a oportunidade para dialogar com o ministro Flávio Dino, pedindo apoio para que a gente possa continuar parceiros, recursos para equipamentos, para criaturas, para as câmaras, as câmaras que ele nos comprometeu, se comprometeu conosco, mas nós estamos também atentos à inteligência”, disparou Jerônimo, que completou.

“Hoje eu assisti pelo menos uma, duas ou três televisões na saída e o que vocês noticiaram hoje pela manhã é claramente uma disputa de corporações criminosas. Eles têm inteligência, eles fazem a disputa e a polícia não vai ficar refém disso. O estado da Bahia não vai ficar refém disso. Vou repetir o que eu falei no Farol da Barra com vocês. A ordem minha a todo o comando da polícia, ao meu efetivo, é que a gente não saia disposto a matar. Não é essa a nossa ordem”.

Jerô afirma que a ordem é “trazer presos para que, inclusive, possam ajudar na inteligência quais são os caminhos que a polícia precisa percorrer. Depois a gente entrega para a Justiça e fazer valer o papel da justiça. Nosso papel é de prisão”.

exclamção leia também