28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Barril dobrado - 09/12/2023, 12:44 - Da Redação

Entenda a ofensiva com bomba do PCC para explodir Sérgio Moro

Lei que aumentou o tempo de permanência de líderes de facções em presídios criminais incentivou PCC a planejar atentado contra autoridades

Sérgio Moro (União-PR) foi o idealizador do pacote anticrime enquanto
Sérgio Moro (União-PR) foi o idealizador do pacote anticrime enquanto |  Foto: Evaristo Sa / AFP

Uma lei aprovada no Congresso em 2019 motivou o Primeiro Comando da Capital (PCC) a planejar atentados contra o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e o senador e ex-ministro da Justiça Sergio Moro (União-PR).

A legislação em questão é a Lei 13.964, de 2019, também conhecida como pacote anticrime, que entrou em vigor no primeiro ano da gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). A medida dificultou a ações dos criminosos, endurecendo o regime carcerário e dificultando o comando dos líderes das facções no interior do sistema prisional. As informações são do Estadão.

Assim, as lideranças do PCC a planejarem os ataques, como “as hipóteses de tentativa de resgate de lideranças ou ainda partir para atentados contra autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, bem como do Ministério Público”.

A facção reuniu uma célula com três de seus integrantes e bancou os custos, cerca de R$ 44 mil, como estadia, celulares, aluguéis, seguro, IPTU, mobília, transporte e até compra de eletrodomésticos. Os investigadores também encontraram explosivos que seriam usados em um atentado a bomba contra Moro.

exclamção leia também