22º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Nova presida - 13/04/2023, 08:11 - Anderson Orrico

Dilma assume a presidência do banco dos Brics

Cerimônia aconteceu em Xangai e teve a participação de Lula

Lula e Dilma na posse
Lula e Dilma na posse |  Foto: Divulgação/Ricardo Stuckert PR

Nesta quinta-feira (13), a ex-presidente Dilma Rousseff tomou posse como presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), conhecido como "banco dos Brics". A cerimônia ocorreu em Xangai, na China, e contou com a participação do presidente Lula.

Dilma ficará à frente do banco dos Brics até julho de 2025. Ela foi indicada ao cargo pelo governo Lula. Nas últimas semanas, Dilma participou de reuniões do banco.

O banco dos Brics é responsável pelo financiamento de projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável dos países que fazem parte da instituição.

A formação original contava com Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Depois, passaram a integrar a instituição Bangladesh, Egito, Emirados Árabes Unidos e Uruguai.

Em seu discurso de posse, Dilma afirmou que se sentia orgulhosa de ter tido a oportunidade de sediar em Fortaleza a cúpula que deu origem ao banco dos Brics, em 2014.

"Assumir a presidência do NBD é, sem dúvida, uma grande oportunidade de fazer mais para os países dos Brics, mas não somente para os seus membros, mas também para os países emergentes e em desenvolvimento", disse.

Dilma ressaltou que o banco captará recursos no mercado mundial, em diferentes moedas. A instituição também vai financiar projetos com moedas locais, para privilegiar os mercados domésticos e evitar prejuízos com variações cambiais. a ex-presidente se mudou para Xangai para presidir o banco.

Lula discursou durante a cerimônia de posse e parabenizou Dilma por ter sido escolhida para o cargo.

"No Brasil, os recursos do Novo Banco financiam projetos de infraestrutura, programas de apoio à renda, mobilidade sustentável, adaptação à mudança climática, saneamento básico e energias renováveis", afirmou.

exclamção leia também