31º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

PODE ISSO? - 30/10/2022, 14:37 - Pedro Moraes

Deputada afirma que sofreu retaliação de PMs durante votação

No momento em que votava com a família, no Colégio Henriqueta Martins Catarino, Olívia Santana foi apontada que estaria fazendo boca de urna

No momento em que votava com a família, no Colégio Henriqueta Martins Catarino,  Olívia Santana foi apontada que estaria fazendo boca de urna
No momento em que votava com a família, no Colégio Henriqueta Martins Catarino, Olívia Santana foi apontada que estaria fazendo boca de urna |  Foto: Foto: Divulgação/PCdoB

A deputada estadual Olivia Santana votou, na tarde deste domingo, 30, no Colégio Estadual Henriqueta Catarino, no bairro da Federação, em Salvador. No momento em que executava o seu direito de voto, ela foi acusada de realizar boca de urna favorável a Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Por meio de imagens de um vídeo, é possível ver a chegada da deputada ao colégio eleitoral. Em um dos momentos, Olivia sofre interferência de agentes da Polícia Militar da Bahia.

Os gestos dos PMs aparentam ser agressivos para barrar a "boca de urna". No ato, ela foi acompanhada por militantes do candidato ao governo da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT).

"Eu fui votar com a minha família, no Colégio Henriqueta Martins Catarino. A militância me recebeu com festa, em frente à escola. Dois policiais, truculentos, partiram pra cima da gente, do nada. Um deles disse que nos daria voz de prisão por estar fazendo boca de urna. Eu disse que aquilo era um absurdo, que eu conhecia a lei, e que eles não poderiam usar suas fardas e suas armas para violar os nossos direitos. Nosso pessoal estava fora da escola. Não era nada demais. Em certa altura, eu disse que o policial mais agressivo parecia um bolsonarista. Ele retrucou. - Sou bolsonarista porque não voto em ladrão? O parceiro dele também fez coro dizendo que eles eram policiais e não votavam em ladrão. Eu perguntei quem era o ladrão. Insisti pra que dissessem. Eles confirmaram que era Lula. Um absurdo! Eu disse que eles eram a vergonha da polícia baiana, eles tomaram a bandeira de um militante, eu segurei e eles puxaram da minha mão. Depois o mais violento foi pra cima de uma mulher que carregava uma criança no colo e carregava a bandeira de Lula. Corri para proteger ela, como vocês podem ver no vídeo", iniciou Olivia Santana, por meio de nota.

Em seguida, a deputada relata que as atitudes deles aconteceu devido ao público ser composto por de "mulheres negras, homens negros, de pessoas da periferia".

Ela ainda aponta que entrou em contato com a Polícia Militar da Bahia para solicitar providências.

"Ele (coronel Coutinho, da Polícia Militar promoveu-se retirada dos policiais e ficou de promover o processo de apuração dos fatos. Não podemos baixar a cabeça para os violentos. Temos que defender o nosso direito de existir e defender nossas ideias", completou.

exclamção leia também