25º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Posicionamento - 29/07/2023, 17:41 - Da Redação

CUT e FUP lançam manifesto em apoio à Petrobras e a Prates

Entidades rebatem críticas ao presidente da estatal e afirmam que Petrobrás "voltou a trilhar"

Petroleiros se sentem repreentados pela política implementada por Jean Paul Prates à frente da Petrobras
Petroleiros se sentem repreentados pela política implementada por Jean Paul Prates à frente da Petrobras |  Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

Em manifesto conjunto, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP) reafirmaram seu apoio ao presidente da Petrobrás, Jean Paul Prates, por sua gestão à frente da estatal. As entidades ressaltaram a política "que culminou na redução dos preços da gasolina, diesel e gás de cozinha, fazendo com que a companhia cumpra seu papel de empresa pública, promotora do crescimento econômico e tecnológico do país e buscando a soberania na produção de petróleo e derivados".

O documento, aprovado pelo presidente da CUT, Sérgio Nobre, e pelo coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar, destaca que "abrasileirar os preços da Petrobrás era desejo e promessa de campanha do presidente Lula" e que, por ter levado isso a cabo, Jean Paul Prates, e diretoria da companhia "vêm sofrendo ataques constantes dos adversários que querem a volta de uma política que foi derrotada pelas urnas nas eleições presidenciais passadas".

"Depois de enfrentar, nos últimos seis anos, violentos ataques, em um processo de enfraquecimento, a Petrobrás volta a trilhar o caminho do crescimento, atendendo aos interesses do povo brasileiro, com respeito aos seus empregados", analisa o texto.

Por fim, o manifesto ressalta que a FUP, legítima representante da categoria petroleira e trabalhadores da Petrobrás, "se sente representada pela política implementada pelo atual presidente da empresa e sua diretoria, confiante em uma política de valorização da companhia, que retoma, no governo do presidente Lula, seu papel de indutora do desenvolvimento. A CUT e a FUP entendem que a Petrobrás tem a capacidade de continuar construindo sua história com o desenvolvimento da indústria nacional e da economia brasileira, seguindo o caminho proposto pelo governo Lula de reconstrução do Brasil"

Leia a nota completa na íntegra abaixo:

Manifesto em apoio à Petrobrás e seu presidente, Jean Paul Prates - Rio de Janeiro, 26 de julho de 2023

A Central Única dos Trabalhadores e Trabalhadoras (CUT) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP) vêm a público manifestar seu apoio à política adotada pela Petrobrás, que culminou na redução dos preços da gasolina, diesel e gás de cozinha, fazendo com que a companhia cumpra seu papel de empresa pública, promotora do crescimento econômico e tecnológico do país e buscando a soberania na produção de petróleo e derivados.

Abrasileirar os preços da Petrobrás era desejo e promessa de campanha do presidente Lula. O presidente da Petrobrás, Jean Paul Prates, fez isso acontecer. No entanto, a partir dessa importante decisão, a Petrobrás, seu presidente e diretoria vêm sofrendo ataques constantes dos adversários que querem a volta de uma política que foi derrotada pelas urnas nas eleições presidenciais passadas.

A Petrobrás é instrumento estratégico de desenvolvimento econômico e social, contribuindo para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e regional, geração de emprego e renda para os brasileiros. O presidente da Petrobrás vem desenvolvendo com êxito e afinco um trabalho de recuperação e fortalecimento da maior empresa do Brasil.

No planejamento do governo do presidente Lula, a política industrial e tecnológica do setor do petróleo é peça chave para o aumento da capacidade de produção de óleo e gás, avançando na exploração do pré-sal na Bacia de Santos e outras regiões do Brasil, levando a Petrobrás ao patamar de grande empresa presente no mercado global.

Para isso, devemos investir na produção de equipamentos para o setor do petróleo, incentivando a indústria local e o conteúdo nacional, com a construção de navios, plataformas de exploração de petróleo e gás, aumento da capacidade de refino, implantação de novas unidades de produção de fertilizantes nitrogenados e de petroquímica. A tarefa vai além, com a ampliação de investimentos em meio ambiente e transição energética.

A política de desmonte, privatização e internacionalização do mercado nacional de combustíveis e da Petrobrás é uma página virada. A reformulação da capacidade de pagamento de dividendos da empresa deve respeitar, primeiramente, os preceitos dos investimentos necessários para o constante fortalecimento da Petrobrás, evitando políticas que satisfaçam somente os acionistas privados.

Depois de enfrentar, nos últimos seis anos, violentos ataques, em um processo de enfraquecimento, a Petrobrás volta a trilhar o caminho do crescimento, atendendo aos interesses do povo brasileiro, com respeito aos seus empregados.

A FUP, legítima representante da categoria petroleira e trabalhadores da Petrobrás, se sente representada pela política implementada pelo atual presidente da empresa e sua diretoria, confiante em uma política de valorização da companhia, que retoma, no governo do presidente Lula, seu papel de indutora do desenvolvimento.

A CUT e a FUP entendem que a Petrobrás tem a capacidade de continuar construindo sua história com o desenvolvimento da indústria nacional e da economia brasileira, seguindo o caminho proposto pelo governo Lula de reconstrução do Brasil.

Sérgio Nobre, Presidente da CUT
Deyvid Bacelar, Coordenador-Geral da FUP

exclamção leia também