28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Artigo - 12/03/2024, 00:01 - Pedro Menezes*

Bruno Reis está muito perto da reeleição em 1º turno

Atual prefeito só sai do cargo se o grupo político dele perder apoiadores; o que não está acontecendo

Bruno Reis está liderando intenções de voto em Salvador
Bruno Reis está liderando intenções de voto em Salvador |  Foto: Divulgação

A nova pesquisa Atlas/A TARDE confirma o que até as gordinhas de Ondina já sabem: Bruno Reis é franco favorito à reeleição. O prefeito tem 51,4% das intenções de voto e Geraldo Júnior, segundo colocado, tem 18,4%. A distância entre os dois é de 33 pontos percentuais, 11 vezes a margem de erro (de 3 pontos percentuais).

À primeira vista, o crescimento de Geraldo Júnior impressiona. O pré-candidato do MDB tinha 12% das intenções de voto na última pesquisa Atlas/A TARDE, feita ao fim de dezembro, e agora tem 18,4%. O problema é que as primeiras aparências enganam.

Geraldo Júnior é vice-governador e representa um dos dois grandes grupos políticos da Bahia. Já era esperado que ele crescesse e se destacasse dos demais candidatos. A própria pesquisa mostra que o crescimento de Geraldo veio dos eleitores que votaram nele e em Jerônimo na eleição de 2022. Ou seja, o vice-governador cresce porque é cada vez mais reconhecido como o candidato do grupo político que governa a Bahia.

Não é suficiente. Na última eleição para governador, ACM Neto venceu com folga entre os eleitores da capital. Quem quiser derrotar Bruno Reis precisa de todos os votos da chapa Jerônimo/Geraldo em 2022 e boa parte dos votos que ACM Neto recebeu. Em outras palavras, o atual prefeito só sai do cargo se o grupo político dele e de ACM Neto perder apoiadores. E a nova Atlas/A TARDE indica que o oposto está ocorrendo.

Segundo a pesquisa, Bruno Reis é aprovado por 58% dos soteropolitanos, número muito maior que a aprovação de Lula (50%) e Jerônimo (34%). A reprovação do prefeito (25%) também é menor que a do presidente (37%) e a do governador (53%). Desde dezembro, alguns desses números variaram mais que a margem de erro: a reprovação de Bruno Reis caiu, reprovação de Jerônimo subiu e a aprovação de Lula caiu.

Em outras palavras, o grupo político de Bruno Reis e ACM Neto continua sendo o maior de Salvador e cresceu nos últimos meses. Só um gigantesco fato novo é capaz de impedir a reeleição do prefeito de Salvador.

*Pedro Menezes é economista e analista político

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo A TARDE

exclamção leia também