27º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Política

Tomou partido - 16/05/2023, 17:03 - Cássio Moreira- Atualizado em 16/05/2023, 17:15

Adolfo defende proposta de Jero para reajuste dos servidores

Presidente da Alba esteve na sessão desta terça-feira (16), mas precisou se retirar

Presidente da Alba esteve na sessão desta terça-feira (16), mas precisou se retirar
Presidente da Alba esteve na sessão desta terça-feira (16), mas precisou se retirar |  Foto: Cássio Moreira

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), Adolfo Menezes (PSD), defendeu a proposta de 4% no reajuste dos servidores públicos estaduais, projeto do governador Jerônimo Rodrigues (PT).

Antes de deixar a Alba para resolver questões pessoais, Adolfo citou o baque na arrecadação e afirmou que Jerônimo gostaria, se pudesse, de conceder um aumento maior.

“Sempre vão ser insuficientes (os reajustes), a gente vive com taxa de juros elevada e inflação. Então, não é fácil para 270 mil funcionários ter o salário concedido pelo governador […] O governador também é funcionário público da Universidade Estadual e tem um salário de professor de R$ 5 mil”, disparou o deputado, que completou.

“O governador, nas diversas reuniões, ele disse que é que ele poderia conceder no momento, sabendo que é um percentual pequeno. A Bahia perdeu 9% neste primeiro trimestre em arrecadação, então ele tinha que tomar todos os cuidados para que não acontecesse na Bahia o que aconteceu em Minas Gerais e Rio Grande do Sul, onde os governos precisaram parcelar e atrasar os salários […] Então, quando se trata de salários e benefícios sempre vai ter problema […] Só em 2022, o estado teve que desembolsar R$ 7 bilhões e 100 milhões para complementar as aposentadorias”, explicou Adolfo.

O presidente da Alba pontuou ainda que os reforços na segurança, além da repreensão das vaias dos servidores nas galerias, são posturas necessárias para manter a ordem.

“A gente tem que tomar cuidado, existe uma lei na Assembleia que os manifestantes não podem vaiar os deputados […] Tivemos problema gravíssimos aqui quando a gente também mexia com funcionário público […] Reconheço o direito de cada um, a democracia é o melhor regime, mas tem que ter ordem. Temos que tomar todos os cuidados para não acontecer uma desordem e não descambar para a violência”, afirmou o deputado, que ainda acredita na aprovação de Ronaldo Sant’Anna para a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), também na pauta de votações do dia.

“Como é acordo, acredito que o conselheiro será votado”, afirmou.

exclamção leia também