25º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Eventos

Projeto Cine Trans Territorial - 13/01/2023, 14:45 - Da Redação - Atualizado em 13/01/2023, 14:56

Sete filmes ganham moral e vão passar na Mostra Itinerante de Cinema

Todas as obras são dirigidas e/ou produzidas por pessoas LGBTQIAPN+

Foram inscritos mais de cem (100) filmes, de todos os gêneros
Foram inscritos mais de cem (100) filmes, de todos os gêneros |  Foto: Divulgação

O Projeto Cine Trans Territorial - Ateliê Itinerante de Cinema – divulga a lista oficial dos sete filmes contemplados para exibição em praças públicas durante a II edição da iniciativa. Todas as obras são dirigidas e/ou produzidas por pessoas LGBTQIAPN+, e serão exibidas nas cidades Seabra - no Centro Baiano; Formosa do Rio Preto - Oeste; Curaçá - Norte; Jandaíra (Vila Mangue Seco) - Leste, e Mucuri, no Extremo Sul, percorrendo quase 4 mil quilômetros por toda Bahia.

Foram inscritos mais de cem (100) filmes, de todos os gêneros (ficção, documentário, hibrido, etc), de até 20 min, produzidos em todo o Brasil, de autoria de realizadores LGBTQIAPN+, entre os anos de 2020 a 2022. “A curadoria composta também por multiprofissionais LGBTQIAPN+ teve uma difícil missão até chegar a uma programação que contempla uma diversidade de temas e narrativas de relevância para essa população.

São filmes independentes, e alguns premiados nacionalmente”, destaca Letícia Ribeiro, cineasta e umas das idealizadoras/ diretoras do projeto, complementado que “ a curadoria se preocupou em escolher filmes que desmitificam os estereótipos e caricaturas de gênero, identidades e sexualidades, deslocando o lugar da marginalidade nossas identidades”.

Foram selecionados filmes produzidos na Bahia (1), São Paulo (2), Paraíba (2), Rio Grande do Norte (1) e Santa Catarina (1), sendo esses: JAQUELINE (2022) de Júlia Balista; SE TRANS FOR MAR (2022) de Cibele Appes; AVISA SE VOLTAR (2022) de Jota Carmo; ADÃO, EVA e o FRUTO PROÍBIDO (2021) de RB Lima; TIME DE DOIS (2021) de André Santos; TRAVESSIA (2022) de Ary Cauany Suptitz; e NORDESTE FUTURISTA (2022) de Luana Flores. A programação é livre para todos os públicos, de todas as idades.

A II edição do Cine Trans Territorial é uma produção da Mulher de Bigode Filmes. O projeto foi contemplado pelo Edital Setorial de Audiovisual 2019 e tem apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria da Cultura da Bahia.

PROGRAMAÇÃO E INSCRIÇÕES

Pessoas LGBTTQIAPN+, a partir de 16 anos e residentes nas cidades baianas Seabra, Formosa do Rio Preto, Curaçá, Jandaíra, Mucuri e adjacências, já podem se inscrever nas oficinas promovidas por meio da II edição do projeto ateliê-itinerante de cinema Cine Trans Territorial. As inscrições são gratuitas, e seguem abertas até a finalização das ações em cada um dos municípios contemplados. Participantes receberão certificado.

As equipes percorrerão as cidades Seabra - de 13/01 a 19/01; Formosa do Rio Preto - de 21/01 a 27/01; Jandaíra (Vila de Mangue Seco) – de 01/02 a 07/02; Curaçá - de 11/02 a 17/02; e Mucuri 25/02 a 03/03, onde também serão exibidos para o público os filmes contemplados nesta edição. O formulário para as inscrições está disponível no link: https://forms.gle/aMtrresamGbNepA98 , bem como nas redes sociais do Cine Trans, através dos endereços eletrônicos www.instagram.com/cinetrans e https://www.facebook.com/cinetransterritorial, podendo ser efetuadas até o último dia de realização do projeto nessas cidades.

As oficinas de cinema serão ministradas por multiprofissionais LGBTQIAPN+ do audiovisual da Bahia, e envolvem temáticas diversas sobre as principais técnicas de vídeo e áudio; manipulação de equipamentos; gravação, fotografia, produção, direção e edição de filmes. Participantes receberão certificado.

O projeto permanece por 8 (oito) dias em cada um desses municípios, promovendo uma série de práticas formativas e de mobilização junto a LGBTQIAPN+, e população em geral, através de projeções públicas e oficinas gratuitas de realização audiovisual. Na primeira edição, realizada em 2017, o Cine Trans percorreu outros 5 (cinco) territórios de identidade baianos, atingindo diretamente com suas atividades uma média de 650 pessoas, realizando oficinas formativas com 47 pessoas LGBTQIAPN+, exibindo 22 filmes brasileiros de curta metragem; sendo 10 deles idealizados e produzidos exclusivamente por esse público.

exclamção leia também