30º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Esporte

Decepção e frustração - 12/11/2023, 20:36 - Jefferson Domingos - Atualizado em 12/11/2023, 23:18

Situação crítica! Baêa empata com o Furacão e segue assombrado pelo Z4

Tricolor abriu o placar com Everaldo, mas cedeu o empate

Everaldo disputa jogada dentro da área
Everaldo disputa jogada dentro da área |  Foto: Uendel Galter / Ag. A Tarde

Um misto de decepção e preocupação. Esse é o sentimento do torcedor Bahia após a equipe empatar por 1 a 1 com o Athletico-PR na noite deste domingo (12), na Arena Fonte Nova, pela 34ª rodada do Brasileirão. Everaldo abriu o placar para o Tricolor, de pênalti, na segunda etapa, mas a equipe baixou a guarda e deixou Canobbio marcar de cabeça para o Furacão. O resultado é terrível para o Esquadrão, que perdeu a chance de se afastar da zona de rebaixamento.

A equipe está na 16ª posição com o 38 pontos, apenas um a mais do que o Cruzeiro, que abre o Z4, na 17ª colocação. O Athletico está em 7º lugar com 51.

Com a parada para os jogos das seleções na Data Fifa, o Tricolor fica 13 dias sem entrar em campo. O próximo jogo será no dia 25, um sábado, contra o Corinthians, na Neo Química Arena, em São Paulo.

Primeiro tempo nervoso

Com o desfalque de Cándido, expulso no jogo passado, Rogério Ceni manteve a linha de três atrás com Kanu, Vitor Hugo e Rezende, e apostou em Luciano Juba na ala esquerda.

O Tricolor começou o jogo nervoso, ansioso, errando bastante e oferecendo espaços para o Furacão. Aos poucos, a equipe foi tomando o controle da partida, mas passou a pecar no acabamento das jogadas. Cauly e Everaldo arriscaram finalizações e foram bloqueados em lances que poderiam tocar a bola para um companheiro melhor colocado

Em uma dessas jogadas, Biel puxou bom contra-ataque, negou bola a Everaldo e sofreu falta. Na cobrança, Juba bateu com perigo, e a bola tirou tinta da trave.

Na última jogada perigosa do primeiro tempo, Cauly recebeu bom lançamento dentro da área, chutou de canhota, mas parou na defesa do goleiro Bento.

Ilusão e decepção

A etapa final começou frenética e os goleiros tiveram que trabalhar. Aos 2 minutos, Thaciano chutou de dentro da área, e Bento espalmou. No contra-ataque, o Athletico desceu com perigo, mas Marcos Felipe pegou o chute de Canobbio.

No decorre do jogo, o Bahia tentou pressionar, mas apostou muito em jogadas de cruzamento pelo alto. Em um desses lances, Thaciano quase marcou.

Mas tudo começou a ficar azul para o Tricolor aos 24 minutos. Gilberto disputou bola na área e sofreu pênalti de Esquivel. Na cobrança. Everaldo deslocou o goleiro e brocou para o Bahia. Era o resultado perfeito. Triunfo para se afastar da zona perigosa. Respirar aliviado nos dias sem jogos. Bastava segurar o placar, não vacilar. Mas o Esquadrão desmoronou e deixou o pior acontecer.

A equipe de Ceni passou a errar muito e cedeu campo para o Furacão pressionar. Canobbio mandou um chutaço de longe, e Marcos Felipe salvou.

O maior vacilo do Tricolor veio a seguir. Everaldo arriscou uma bicicleta dentro área, quando poderia segurar a bola para ganhar tempo. Resultado: errou a tentativa e cedeu contra-ataque para o time paranaense, que conseguiu escanteio. Na jogada de bola parada, Canobbio ganhou de Juba pelo alto e marcou de cabeça.

Nos minutos finais, o Bahia foi para o abafa, na base do desespero. Kanu quase marcou em chute cruzado, mas Bento salvou de novo. Ainda houve uma reclamação de pênalti após a bola bater no braço de um zagueiro do Furacão. Mas nada foi marcado e o que se ouviu após o apito final foram algumas vaias da torcida e a certeza de que o fim de temporada será tenso para o Tricolor…

exclamção leia também