26º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Esporte

Vale vaga na final - 09/03/2024, 09:52 - Wiliam Falcão*

Pela semi do Baianão, Tricolor tem desafio complicado contra o Jequié

Bola vai rolar a partir das 16h deste sábado (9) no estádio Waldomirão,

Yago Felipe durante treino tricolor
Yago Felipe durante treino tricolor |  Foto: Letícia Martins / EC Bahia

O Bahia tem uma parada dura neste sábado (9), diante do Jequié, no estádio Waldomirão, a partir das 16h, em duelo válido pela ida da semifinal do Campeonato Baiano. A partida disputada no interior do estado será a primeira parte dos 180 minutos que irão definir quem avança para a grande decisão do Estadual de 2024.

Enquanto o Tricolor quer o bicampeonato, o Jipão pretende fazer história e chegar na decisão pela primeira vez. Vale lembrar que a equipe do interior foi a grande pedra no sapato da dupla Ba-Vi ao vencer os dois clubes na primeira fase da competição.

Sem saber se vai ser titular ou poupado pelo técnico Rogério Ceni, o centroavante Everaldo destacou que sempre encara os confrontos como decisão quando veste a camisa tricolor e, contra o Jipão, não será diferente.

“Cada jogo independente do campeonato é um jogo decisivo. A gente vem numa sequência de jogos absurda, mas como eu falei, ano passado também foi assim no primeiro trimestre. E esse ano não está sendo diferente, só que esse ano com resultados muito melhores do que foi o ano passado”, afirmou o camisa 9 em coletiva ontem na Cidade Tricolor.

A maratona de jogos tem sido cansativa para o Bahia neste início de ano, no entanto, o jogador afirmou que a equipe tem que estar preparada para superar as adversidades e se adaptar à realidade do futebol brasileiro. “O desgaste físico acontece porque a gente não consegue treinar. Mas também tem o cansaço das viagens longas, às vezes a logística atrapalha um pouco também”, explicou.

Acostumado a ser o responsável por balançar as redes adversárias, o camisa 9 tem atuado em um posicionamento diferente nesta temporada, pelos lados do campo, para dar mais liberdade para os jogadores do meio-campo do Esquadrão entrarem na área. “Buscando o melhor para a equipe, às vezes, me sacrifico um pouco mais ali, mas sem problema nenhum. Eu estou aqui para ajudar, estou aqui para somar. Então é como eu falei, sempre vou fazer o meu melhor para ajudar o Bahia”, analisou.

Por fim, Everaldo celebrou a oportunidade de vestir o manto tricolor e aproveitou para ‘cutucar’ a torcida do Vitória. “Eu realmente tenho muito orgulho de vestir essa camisa, sempre faço meu melhor. Às vezes não acontece aquilo que eu espero, faz parte do futebol. Aqui na Bahia é incrível, o torcedor é muito fanático. Me atrevo a dizer que 80% da população baiana é Bahia. Os meus filhos, Pietro e Matheus, têm os amigos aqui e acabaram escolhendo o Bahia como seu primeiro time... Eu sempre busquei dar o meu melhor pelas equipes que joguei, mas aqui é diferente, o sarrafo subiu”, garantiu o jogador.

Sem desfalques

Sem problemas de lesão ou suspensão, o Bahia fez na sexta-feira o único treino na Cidade Tricolor antes de encarar o Jequié. Sob o comando de Rogério Ceni, os jogadores foram a campo e se dividiram em quatro equipes.

Nos trabalho, dois times se enfrentavam dentro de um quadrado, enquanto um terceiro participava da troca de passes, do lado de fora do espaço, e o quarto apenas observava.

Em seguida, o comandante orientou um tático, onde desenhou a equipe que vai a campo e, por fim, os atletas fizeram um trabalho de finalização para deixar a pontaria calibrada visando vencer a decisão contra o Jipão.

Apesar de fazer muito mistério, Ceni deve modificar bastante a equipe dando continuidade ao planejamento de rodízio do elenco, já que terça-feira (12), tem decisão contra o Caxias, pela Copa do Brasil.

Jipão vai sem medo

O Jequié também concluiu a preparação na sexta para a partida mais importante da história do clube. Diferente do Bahia, o Jipão não teve compromisso durante a semana e o foco da equipe é total no Campeonato Baiano.

Em entrevista exclusiva ao MASSA!, o treinador do Jequié, Gabardo Júnior, relatou que os atletas terão de entrar em campo bem concentrados para não cometerem vacilos e aproveitarem o apoio da torcida visando conquistar uma boa vantagem para o duelo de volta, na Fonte Nova.

“Acho que a gente tem que ter um equilíbrio. Uma sabedoria, fazer um jogo muito mental, onde a gente tem que saber o que a gente vai fazer em todos os momentos da partida. Então é um jogo em que a gente tem que estudar bem o adversário para fazer dois confrontos dignos”, projetou o professor do Jipão.

Jequié x Bahia - Semifinal do Baianão

Local: Estádio Waldomiro Borges, em Jequié (BA);
Dia e hora: sábado (9/3), às 16h;
Árbitro: Bruno Pereira Vasconcelos;
Assitentes: Elicarlos Franco de Oliveira e Jucimar dos Santos Dias.

Jequié: Marcos; Sérgio Baiano, Jean, Espeto e Elivelton; Caetano, Guga Freire, João Grilo e Igor Bádio; Kaynan e Alex Gonçalves. Técnico: Gabardo Júnior.

Bahia: Marcos Felipe; Gilberto, Gabriel Xavier, David Duarte e Luciano Juba (Cicinho); Rezende, Yago Felipe e Jean Lucas; Ademir, Biel e Estupiñán. Técnico: Rogério Ceni.

*Sob a supervisão do editor Léo Santana

exclamção leia também