29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Esporte

Que tristeza! - 08/04/2024, 22:20 - Larissa Falcão

Jogadora argentina é espancada e assassinada por ex-marido

Florencia Guiñazú e seu ex-marido acumulavam episódios frequentes de agressões e discussões

A atleta teria sido estrangulada e espancada pelo ex-marido
A atleta teria sido estrangulada e espancada pelo ex-marido |  Foto: Reprodução/Instagram

Florencia Guiñazú, 30 anos, jogadora do Argentino de Mendonza, foi encontrada morta dentro do quarto que dividia com seu ex-marido, Ignacio Agustín Notto, 32 anos, em Guaymallén, na Argentina. A atleta foi estrangulada e assassinada pelo ex-companheiro, que em seguida, se suicidou.

Na janela do quarto, o feminicida deixou um cartaz antes de tirar a própria vida. "Ligue para o 911. As crianças estão sozinhas", dizia o cartaz.

Os dois, que ainda não estavam separados legalmente, eram pais de Ámbar, 5 anos, e Milo, 7 anos. Episódios que envolviam o ex-casal chamavam a atenção dos vizinhos.

Em novembro do ano passado, a atleta foi encontrada em estado de choque por um vizinho. Na época, segundo o jornal 'El Sol de Mendoza', Florencia havia sido espancada e em seguida foi trancada no banheiro por Notto.

Uma denúncia por violência de gênero, chegou a ser realizada pelo Ministério Público. O órgão chegou a colher o depoimento de Notto, no entanto, o caso foi arquivado por falta de provas.

No Instagram, o clube que Florencia defendia lamentou a morte da atleta, e levantou bandeira contra o feminicídio.

"Quando dizemos nem um a menos é para que casos como o de Flor [Florencia Guiñazú] deixem de existir. Parem de nos matar", diz a publicação.

Em caso de violência contra mulheres, denuncie

Caso presencie um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie. Também é possível realizar denúncias pelo número 180 (Central de Atendimento à Mulher) e pelo Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há também o aplicativo Direitos Humanos Brasil, onde é possível denunciar através da página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem realizar a denúncia em até seis meses.

Busque ajuda

Está passando por um período difícil? O Centro de Valorização da Vida (CVV) pode ajudar você. A organização atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone (188), e-mail, chat e Skype, 24 horas, todos os dias.

exclamção leia também