30º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Esporte

Bate-papo exclusivo - 25/09/2023, 14:06 - João Grassi- Atualizado em 25/09/2023, 15:49

Apostas, City, defesa e Ceni: Preto Casagrande dá 'pitacos' no Bahia

Em entrevista ao MASSA!, ex-jogador detalha situação do Esquadrão na temporada

Preto Casagrande é ex-jogador com passagem marcante pelo Bahia
Preto Casagrande é ex-jogador com passagem marcante pelo Bahia |  Foto: Reprodução/Instagram

O Bahia faz uma temporada abaixo das expectativas no chamado 'ano zero' da gestão do City Football Group, que adquiriu a SAF do Esquadrão oficialmente em maio, com a venda aprovada pelos sócios desde o fim do ano passado. No entanto, os resultados em campo ainda não apareceram e 2023 tem sido mais turbulento do que o esperado, com o clube brigando mais um ano contra o rebaixamento no Brasileirão.

Além das críticas por parte da torcida, ídolos do Bahia já se manifestaram a respeito da decepcionante temporada do clube e, em entrevista ao Portal MASSA!, o ex-meia Preto Casagrande, bicampeão regional pelo Esquadrão, também deu a sua opinião sobre a atual situação do Tricolor.

Segundo Preto, um dos principais erros cometidos pelo departamento de futebol do City foi "apostar" demais. Ele citou o grande investimento feito pelos investidores e afirmou que "nem o torcedor mais pessimista" imaginava tanta dificuldade, exatamente por uma mudança imediata no patamar financeiro do clube

"A gestão do City, como eles mesmo citam o 'ano zero', que era um ano de adaptação, de reformulação, mas que logicamente pelo investimento feito, mais de 100 milhões, eu acho que nem o torcedor mais pessimista do Bahia imaginava que o clube, justamente por essa mudança de patamar nos investimentos do futebol, fosse brigar na parte de baixo da tabela. Então, claro que existe esse processo de renovação, de investimento, mas eu acho que um dos erros do grupo foi ter trazido muita aposta, talvez eles não tivessem uma noção exata do que era o futebol brasileiro. Tentaram corrigir na segunda janela, mas aí já era tarde, enfim, a gente espera que pelo menos o time não caia", iniciou Preto.

Preto fez história com a camisa do Bahia
Preto fez história com a camisa do Bahia | Foto: Divulgação

"Pelo fato de alguns times que eles [Grupo City] têm durante esse período no mundo, muitos você consegue apostar, dar certo e disputar campeonatos sem correr risco de rebaixamento, mas eu acho que no Brasil é uma situação diferente", completou.

Questionado sobre o problemático sistema defensivo tricolor, o ex-jogador criticou o desempenho dos zagueiros titulares, Kanu e Vitor Hugo. "Então se você avaliar a defesa, o Raul Gustavo era um jovem promissor, mas que o Corinthians liberou. O Gabriel Xavier também da base, jovem e que ainda precisa mostrar. E o Marcos Victor também é um jovem que veio do Ceará, teve poucas oportunidades, teve uma lesão, assim como o Raul Gustavo. A gente não consegue ainda dar um carimbo de que estão prontos para serem titulares numa Série A de Campeonato Brasileiro, mas o fato é que os dois que estão jogando também não têm dado conta do recado", indicou.

"Portanto, eu acho que precisa sim dar uma mexida. O Vitor Hugo infelizmente não conseguiu ser o Vitor Hugo que a gente imaginou que fosse. E o próprio Kanu também ainda por mais que seja um líder, eu acho que não conseguiu ainda dar ao torcedor a segurança de que temos uma zaga que pode dar conta do recado", avaliou Preto.

Preto foi o autor de um dos gols do Bahia na final da Copa do Nordeste de 2001
Preto foi o autor de um dos gols do Bahia na final da Copa do Nordeste de 2001 | Foto: Reprodução

No entanto, o ex-meia do Bahia considera a mudança de técnico, de Renato Paiva por Rogério Ceni, como positiva, visto que o ex-goleiro já acumula bons resultados em sua não tão longa carreira como treinador. "Foi mais um erro do grupo, apostar em um treinador num futebol tão competitivo como é o futebol brasileiro. Ele teve uma passagem pífia na Copa Nordeste com resultados assustadores, as goleadas para o Fortaleza e Sport, não se classificar nem na primeira fase, isso já dava indícios de que o Renato Paiva não conseguiria ser aquilo que o grupo e a torcida criaram como expectativa. Muito desequilíbrio até na hora do trato com a imprensa e torcida, isso já dava mostras de que ele não seguiria no cargo por muito tempo, até porque teve poucas experiências na vida, tanto como atleta, como treinador, de defender um clube com tanta torcida como é o Bahia", disparou Preto.

"Com relação ao Rogério, é um cara já diferente do Renato Paiva, que tem uma carreira brilhante como líder e capitão de um dos maiores clubes do mundo, de títulos muito importantes. Então, a gente acredita que consiga trazer essa experiência que ele teve, não só como jogador, mas como treinador, já ganhando títulos importantes também", finalizou.

Bicampeão do Nordeste pelo Bahia, Preto Casagrande também venceu o Baianão e fez parte do time que ficou em 8º lugar no Campeonato Brasileiro de 2001, última campanha relevante do clube na Série A. Atualmente, o ex-meia comanda o 'Canal do Black' no YouTube, onde analisa futebol e faz lives. Pelo Tricolor, ainda foi premiado com a 'Bola de Prata', quando a revista Placar formava uma seleção dos melhores jogadores do Brasileirão.

exclamção leia também