29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Entretenimento

Aniversário de Salvador - 29/03/2024, 08:00 - Vinicius Viana

De Robyssão a Kelly Cyclone! Relembre Salcity servindo entretenimento

O Portal MASSA! relembra figuras que agitaram o mundo dos famosos na Bahia

Robyssão, Kelly Cyclone e a banda Saiddy Bamba
Robyssão, Kelly Cyclone e a banda Saiddy Bamba |  Foto: Reprodução/Divulgação/Redes Sociais

Salvador, terra de sol, mar e... é claro, do puro suco de entretenimento! Desde que o Jornal MASSA! veio ao mundo em 2010, a capital baiana não parou de nos presentear com momentos inusitados e, às vezes, bem polêmicos.

Em comemoração aos 475 anos de vida de Salvador, nossa equipe decidiu reunir os principais fatos no mundo dos famosos e das subcelebridades que agitaram as notícias no primeiro ano de existência do nosso jornal impresso.

Se ligue aí!

Imagine só, enquanto o calor de 2010 torrava o juízo da galera, as músicas "Vaza Canhão", "Me Dá Patinha" e outras pérolas da banda Black Style, que na época era comandada por Robyssão, embalavam o verão em Salvador com o pagofunk. Só que nem tudo eram flores. As letras cheias de duplo sentido e objetificando as mulheres despertaram a fúria de muita gente, movimentando vereadores a criarem e aprovarem anos depois a Lei Antibaixaria.

E quem não se lembra de Léo Santana rebolando com "Tchubirabirom"? O cara já chamava atenção pelo gingado naquela época quando comandava o Parangolé! "Tchubirabirom" virou febre e era pecado não colocar as mãozinhas pra frente, na cintura e balancear a cabeça quando a canção tocava nas rádios.

O ano de 2010 também teve suas surpresas, como a ausência de Leo Kret na equipe da Saiddy Bamba. A primeira artista trans do pagode baiano deixou a galera órfã de suas magníficas apresentações e discursos de empoderamento LGBT durante os shows e a gravação do DVD da banda, que a revelou como dançarina para todo o Brasil. Na época, ela deixou a Saiddy Bamba para exercer o cargo de vereadora em Salvador.

E não podemos esquecer do bafafá causado por Tomate com a campanha "Te amo porra", estampada em outdoors, que fazia referência a sua música de trabalho para o carnaval daquele ano. Uns acharam genial, outros ficaram putaços, mas todo mundo comentou. Na época, a prefeitura censurou o palavrão, substituindo-o por um borrão... e depois por reticências. Foi muita treta, babado e confusão por causa de um palavrão!

E falando em tretas, quem não se lembra da "Festa do Pó" envolvendo Kelly Cyclone, a rainha do Orkut? Considerada a primeira influencer digital de Salvador, Kelly Doçura foi parar nas manchetes ao ser pega em uma festança com muitas drogas. Diziam até que ela era esposa de um chefão do tráfico! Quem diria que a Kelly aprontaria tanto?

E, para fechar com chave de ouro, teve Ivete Sangalo abrindo o show de Beyoncé no Parque de Exposições! A dona e proprietária de Salvador brincou que a Queen Bee ia comprar uma casa no subúrbio da capital baiana. Imagina só, a abelha rainha tomando um solzinho com Jay-Z na Praia de São Tomé de Paripe ao som de Black Style?

E não parou por aí, não. Salvador foi palco de outra apresentação internacional. A banda Black Eyed Peas desembarcou em solo soteropolitano com Fergie e toda a trupe. Foi um ano muito agitado para a primeira capital do Brasil.

Com esses fatos, podemos perceber que a capital baiana nunca decepciona quando o assunto é entretenimento. Que venham mais 475 anos de histórias pra contar, com direito as boas surpresas, babados e gritaria.

exclamção leia também