31º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Entretenimento

Em cartaz - 28/12/2023, 09:54 - Artur Soares*

CineMassa: filme dos Mamonas traz fidelidade e nostalgia

Novo longa conta a trajetória meteórica do grupo brasileiro

Elenco apresenta uma química extraordinária
Elenco apresenta uma química extraordinária |  Foto: Edu Moraes / Divulgação

Cinco amigos de Guarulhos se reúnem e formam um dos maiores sucessos musicais da história brasileira. Essa é a história dos Mamonas Assassinas, uma das bandas mais icônicas dos anos 1990 e que foram responsáveis por hinos eternizados até os dias de hoje, sempre acompanhados de um humor irreverente. A trajetória do grupo chega às telonas nesta quinta-feira (28), com o lançamento de Mamonas Assassinas: O Filme.

O filme detalha como Dinho, Bento, Júlio, Sérgio e Samuel se conheceram e formaram a banda Utopia, que posteriormente se tornaria os Mamonas Assassinas. Perrengues para o lançamento do primeiro álbum, relacionamentos pessoais e o fim trágico do grupo são apenas algumas das coisas abordadas nesta cinebiografia, que também aproveita para misturar cenas reais em meio a ficção.

Tudo está recriado de forma excelente. A maneira como os meninos interagem entre si, seu modo irreverente e até algumas falas em entrevistas são exatamente as mesmas que as da vida real. Essa extrema fidelidade é um dos pontos mais chamativos da produção, conseguindo despertar o sentimento de nostalgia no público. O grande objetivo do longa é ser uma homenagem à curta trajetória do grupo e isso ele consegue muito bem.

Filme consegue homenageia o grupo
Filme consegue homenageia o grupo | Foto: Edu Moraes / Divulgação

Ainda falando sobre a fidelidade da produção, um ponto que está sendo muito elogiado é o elenco. De fato, o elenco principal apresenta uma química extraordinária, ao ponto de realmente parecer os Mamonas em tela. Mas o destaque principal vai para Ruy Brissac, intérprete de Dinho. Além da extrema semelhança física, o rapaz consegue incorporar cada trejeito do vocalista.

Por se focar bastante em ser uma homenagem, o longa se perde em alguns momentos no roteiro. Algumas subtramas são iniciadas, mas não ganham tanto destaque, dando a impressão de que elas foram feitas às pressas. Um exemplo disso é a relação do Dinho com seu pai. A obra dá indícios de que vai se aprofundar nos dois, mas não vai para frente. Apesar disso, não é nada que vai interferir na sua experiência de fã.

Mamonas Assassinas: O Filme embarca na onda de cinebiografias e entrega uma bonita homenagem, sendo uma ótima forma de apresentar o grupo a uma nova geração que não teve a oportunidade de acompanhá-los. Impressiona por sua fidelidade, mas não apresenta muito mais que isso.

É filme ou minissérie?

Além do roteiro que se perde em alguns momentos, outro aspecto que incomoda um pouco é a direção. O filme apresenta um visual e alguns diálogos que parecem ter saído diretamente de Malhação. O diretor do longa é Edson Spinello, que é responsável por dirigir as novelas da Record, tendo trabalhado em obras como Rei Davi.

Essa experiência na televisão fica nítida em alguns momentos, com o filme adotando algumas características desse tipo de narrativa. É óbvio que a linguagem usada na TV é totalmente diferente da utilizada no cinema, o que faz com que o filme pareça meio “deslocado”.

Outro ponto que contribui para essa estética “novelesca” é o fato da produção ter sido originalmente planejada como uma minissérie. Isso porque uma das idealizadoras do projeto é justamente a Record.

O filme é uma verdadeira mistura de linguagens, não sabendo qual dos lados escolher.

*Sob a supervisão do editor Jefferson Domingos

exclamção leia também