31º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Tá rolando no Pelô - 28/04/2023, 08:35 - Amanda Souza- Atualizado em 28/04/2023, 11:43

Workshop de discotecagem para mulheres negras e pessoas trans

Evento ocorre nesta sexta

Workshop de discotecagem tá rolando no Pelô
Workshop de discotecagem tá rolando no Pelô |  Foto: Divulgação

A aceleradora musical Nova Estação realiza, nesta sexta (29), um Workshop de Discotecagem voltado para mulheres negras e pessoas trans. A atividade será ministrada pela DJ Nai Kiese e será dividida em duas turmas, uma pela manhã e outra pela tarde. Nice Pita, gestora de projetos e eventos na Nova Estação, explica que o objetivo do workshop é oferecer uma formação para esse público alvo de maneira a tornar o cenário musical de Salvador cada vez mais diverso.

“São poucas DJs negras ou trans aqui, por isso realizamos essa atividade pensando em pluralizar esse perfil profissional”, diz a gestora. “Quando a gente pensa em DJ, a referência é sempre um homem branco, o que é uma realidade distante do cotidiano musical de Salvador”, conclui.

A abordagem da DJ Nai Kiese vai passar por conteúdos como a história da discotecagem e introdução a equipamentos e acessórios, unido fundamentos teóricos, técnicos e de carreira como profissional.

“Vamos levar essa pluralidade de maneira consciente. Nai é uma de nossas facilitadoras, uma mulher preta, periférica, que tem uma relação de pesquisa musical distante da reprodução puramente comercial”, diz.

Os interessados em participar da atividade ainda podem se inscrever através do Sympla. O custo é de R$ 47 e a classificação indicativa é de 14 anos e a atividade será realizada na Casa do Hip Hop, no Pelourinho.

Nice destaca que o valor foi pensado para facilitar o acesso ao público alvo. “Inicialmente pensamos em curso, mas o custo seria mais alto e poderia não ser acessível a todas as pessoas, por isso pensamos no workshop”.

Formando e acelerando artistas

O workshop é apenas uma das muitas atividades da Nova Estação, que vem atuando na produção e agenciamento musical de artistas com recorte racial e de gênero em Salvador.

Ziati Comazi é o idealizador do escritório e, ao lado de Nice, está à frente dessas muitas atividades culturais.

“A Nova Estação vem para possibilitar processos de formação para esses artistas”, diz. “A ideia é abraçar esses músicos, instrumentistas, artistas, que estão em vulnerabilidade de espaço cultural”, explica Ziati.

Uma das atividades que a aceleradora musical promove é a “Jam da Nova”, uma iniciativa que acolhe artistas e permite que eles se expressem como quiserem.

“É um palco aberto para quem quiser vir se apresentar, cantar, tocar, recitar...”, diz Ziati.

A atividade acontece a cada 15 dias e a próxima será no dia 10 de maio.

“O que estamos fazendo é colocando adubo para que essas sementes floresçam”, ressalta Nice. “Permitindo que pessoas cheguem a lugares que talvez não chegariam sem essa chance”.

exclamção leia também