29º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Que loucura! - 01/11/2023, 10:50 - Anderson Orrico- Atualizado em 01/11/2023, 12:10

Vídeo: mulher de ginecologista mete porrada em paciente durante exame

Caso aconteceu em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife

Paciente foi agredida após tirar a roupa para fazer ultrassonografia vaginal
Paciente foi agredida após tirar a roupa para fazer ultrassonografia vaginal |  Foto: Reprodução/Print Vídeo Redes Sociais

Uma jovem, identificada como Amanda Oliveira, de 20 anos, foi agredida pela esposa de um médico ginecologista quando estava se preparando para fazer um exame. O caso foi filmado pela vítima e aconteceu em uma clínica na cidade de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.

Segundo a paciente, na segunda-feira (30), ela estava no consultório se preparando para para fazer um exame ginecológico quando a mulher entrou, mandou ela vestir a roupa e pegar a pista.

"Saia daqui", ordena a mulher por diversas vezes. Depois que Amanda se recusou a sair da sala, o pau comeu.

Em entrevista ao g1, a vítima contou que foi realizar uma ultrassonografia vaginal e, na sala, estavam o médico, uma auxiliar, e a agressora, que seria médica e esposa dele, mas não trabalha no local.

"Eu fui pela primeira vez e teria que repetir esse exame depois de 15 dias. A primeira vez foi supertranquila. Ele [médico] me deixou à vontade e a auxiliar dele também estava lá a todo momento. Da segunda vez, quando eu cheguei lá, estavam os três. Ele, a auxiliar e a mulher que é esposa dele, que se diz ser médica também", revelou Amanda.

Constrangimento

Amanda disse que a clínica não tem nenhuma vestimenta para que as pacientes vistam durante o exame, então é necessário tirar a roupa e ficar nua. Isso teria sido a causa da pancadaria.

"Quando eu estava tirando minha calça, ela já estava me constrangendo. Ela falou que era para eu ir de saia, que eu não tinha modos. Ela me deu um jaleco, porque lá não tem bata, [dizendo que era] 'para me preservar'", disse.

"Quando ele foi colocar o transdutor dentro de mim, ela puxou com toda força do mundo, sem consentimento. Foi aí que eu comecei a filmar, pelo fato de ela ter tocado em mim. Me senti muito mal, muito constrangida. Fiquei muito nervosa, porque eu cheguei e fiz o que tinha que ser feito. Não tirei graça com ninguém, não me dirigi a ele. Só dei boa tarde, mostrei o comprovante que eu paguei e nada mais que isso. Até então, para mim, ela era uma médica qualquer", completou.

A Polícia Civil vai investigar o caso.

Assista:

exclamção leia também