25º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

vai ter greve? - 14/05/2024, 12:27 - Bruno Dias e Osvaldo Barreto

Representante da Setps lamenta desacordo e teme crise dos rodoviários

Reunião entre rodoviários e empresários nesta terça-feira (14) terminou com se definição

Diretor da Setps, Jorge Castro
Diretor da Setps, Jorge Castro |  Foto: Rafaela Araújo/ Ag. A TARDE

Após mais uma reunião terminar sem acordo entre os empresários e rodoviários, na manhã desta terça-feira (14), o diretor do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps), Jorge Castro, afirmou que fez o possível para convencer a classe com a proposta ofertada.

"Nós fizemos um recálculo e conseguimos um valor superior ao anterior e aumentamos a proposta de 1,13 para 1,24. Nos outros pontos nós mantemos ainda nossas condições anteriores. Tem algumas condições que são inegociáveis, já falamos para eles. E se eles aceitarem o percentual que oferecemos e as duas condições, que nós fizemos antes, nós podemos até fazer alguma contraproposta em algumas das outras reivindicações deles", explicou.

Leia também: Após desacordo, presida dos rodoviários cogita iniciar "greve geral"

Após ter a proposta negada pela categoria, Jorge lamentou a situação e revelou temer uma possível crise do sistema Integra, semelhante aos problemas sofridos pelas empresas de ônibus da Região Metropolitana de Salvador.

"Eu lamento porque o setor de transporte hoje passa por uma grande crise e eu tenho medo de acontecer o que aconteceu lá atrás com a CSN que fechou, desempregou gente. O mesmo aconteceu com a Costa Verde, no metropolitano. Metropolitano cada vez mais com pessoas desempregadas. Eu acho que a sensibilidade do sindicato dos trabalhadores precisa passar por isso. Para que a gente não possa ter mais empresa fechada e mais desemprego", comentou.

O representante finalizou afirmando que não existe mais nenhuma reunião prevista para acontecer e as tratativas devem ser resolvidas na Justiça do Trabalho.

exclamção leia também