28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Vale conferir - 05/08/2023, 07:00 - Maria Laura S. de Souza

Professora Bisonha lança livro sobre as Mestras de Capoeira da Bahia

Obra contém catálogos com fotografias, textos bibliográficos e relatos das mestras

Franciane Simplicio, conhecida como Professora Bisonha
Franciane Simplicio, conhecida como Professora Bisonha |  Foto: Hilo Daniel

“Maltas de Saia - Histórias das Mestras de Capoeira da Bahia” é o título do novo livro da Franciane Simplicio, conhecida como Professora Bisonha. A obra é fonte de pesquisa e informação sobre capoeira, e a única que reúne biografias das mestras da capoeira da Bahia. O livro pode ser adquirido através de contato no Instagram @mare_cheia_producoes, ou pelo número (71) 9 9156-8161.

O livro contém catálogos com fotografias, textos bibliográficos e relatos de mestras de capoeira. “O projeto atingiu até 25 grupos do campo, você vai encontrar mestras de Barreiras, Itabuna, Santo Amaro, Muritiba, Lauro de Freitas, Porto Seguro e Bom Jesus da Lapa. Salvador”, relata Franciane.

No final de 2022 a obra foi contemplada pelo Prêmio Capoeira Viva Salvador – Ano III, da Fundação Gregório de Mattos. O nome “Maltas de Saia” se refere a mulheres capoeiristas do século XX. Eram grupos integrados por negros, negras e mulatos que lutavam e resistiam contra o sistema dominado pela elite carioca da época. “Uma marca das Maltas era o companheirismo grupal e solidariedade, por isso também trouxemos esse termo, refletindo essa marca”, informa.

Capa do livro
Capa do livro | Foto: Divulgação

O projeto de Franciane busca fomentar a proteção, preservação e difusão da memória histórica e de promoção do trabalho das mestras de capoeira e seus legados culturais. Ela afirma que a equipe decidiu registrá-las como contraste à invisibilidade que sofreram ao longo da história. “A gente entendeu que era importante trazer as imagens pra o leitor reconhecer quem são e onde estão localizadas, a ideia é contar as histórias, salvaguardar a memória e o legado cultural.

As biografias estão apresentadas em ordem alfabética, e destacam a importância política, social e cultural da presença da mulher na capoeira. A professora explica que a equipe fez um mapeamento dos territórios e viajou pelas cidades para conhecer as mestras. “Íamos passando pelos locais, registrando a quantidade, quem eram e se existiam de fato. O fator da pandemia afetou o nosso alcance, mas atingimos 20 mestras no total”, relata.

Francine revela ainda que esta é a primeira edição do projeto. “Temos mulheres capoeiristas em toda Bahia, a intenção é que o livro tenha uma segunda edição com o mapeamento do restante das mulheres”, destaca. Ela conta também que apenas no lançamento, a equipe já conseguiu enviar o livro pra Itália, Argentina e Rio de Janeiro. “É uma fonte preciosa de informações, não tenho dúvidas de que vai contribuir com o processo de quem pesquisa capoeira e de quem pesquisa sobre o assunto”, indica.

Além da Professora Bisonha, o projeto contou com a participação das acadêmicas pesquisadoras e capoeiristas Maria Luisa Pimenta (Mestra Lilu), Dayse Simplício (Instrutora Formiga) e Maristela Souza (Instrutora Parada). As ilustrações são de autoria da capoeirista e artista plástica Sandra Lavandeira e as fotos são assinadas por Anderson Ferreira, também capoeirista.

exclamção leia também