28º Salvador, Bahia
previsao diaria
Facebook Instagram
WHATSAPP
Receba notícias no WhatsApp Entre no grupo do MASSA!
Home / Cidades

Eita! - 26/10/2023, 08:39 - João Grassi- Atualizado em 26/10/2023, 12:07

Presidente dos Rodoviários confirma possibilidade de greve: "Aprovado"

Fábio Primo concedeu entrevista ao programa 'Isso é Bahia', da rádio A Tarde FM

Fábio Primo
Fábio Primo |  Foto: Reprodução/Redes sociais

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Fábio Primo, confirmou que há a possibilidade de greve do sistema rodoviário. Segundo ele, foram realizadas duas assembleias, na G2 Plataforma e G3 OTTrans, em que ficou decidido que a mobilização pode ser iniciada a partir da próxima semana.

Salvador amanheceu com atraso e redução nas linhas de ônibus coletivos, justamente devido as reuniões desta manhã envolvendo a categoria.

"Aprovamos aqui na segunda garagem uma possível greve pelo descumprimento do acordo coletivo", disse Primo em entrevista ao programa 'Isso é Bahia', da rádio A Tarde FM.

De acordo com o presidente, os empresários responsáveis pelas empresas dos ônibus não cumpriram o acordo coletivo assinado pelos rodoviários. Fábio explicou as reivindicações dos trabalhadores.

"A gente quer apenas que eles cumpram o que assinaram, o que ficou definido com a gente. A questão da escala, que eles tem oito dias para colocar e não estão, fardamento, apanha e leva. Um dos pontos cruciais é a questão do jovem aprendiz. Somos a favor da lei do jovem aprendiz, mas com supervisão do cobrador. Sabemos que existe a questão de assalto, de assédio moral dentro dos ônibus, uma violência geral. Então, entendemos que esse jovem tem que ser supervisionado", cobrou.

Ainda conforme Fábio Primo, toda a movimentação da categoria foi previamente avisada. Nesta manhã, a Secretária Municipal de Mobilidade (Semob) emitiu nota repudiando o movimento dos rodoviários por falta de comunicação de prévia.

"Avisamos sim. Mandamos um release para toda a imprensa. Legalmente não é necessário avisar, pois estamos fazendo uma assembleia, não greve. O secretário falou comigo ontem (25), então é um equívoco ele dizer que não foi avisado previamente. Ele sabe de todos os problemas que vem acontecendo no sistema", garantiu Primo.

Outra reclamação de Primo é sobre a falta de depósito do FGTS dos rodoviários. Além de reforçar as outras reivindicações, ele denunciou o atraso de oito meses do fundo e afirmou que os jovens aprendizes das empresas já saíram para trabalhar sem supervisão pelo segundo dia seguido.

"Os empresários assinaram um acordo coletivo com a gente e não estão cumprindo. FGTS, fardamento, escala, apanha e leva. É o cúmulo essas situações. A escala que deveria ser colocada com oito dias de antecedência, eles estão mudando às 21, 22h. FGTS já são oito meses sem depositar. Já vimos essa novela com a CSN. A questão do jovem aprendiz, ele precisa sair com o cobrador. Na segunda e terça isso aconteceu, mas na quarta e hoje o jovem aprendiz já foi colocado para sair sem o cobrador", revelou.

Situação da CSN segue sem resolução

De acordo com Fábio Primo, as pendências de ex-trabalhadores da CSN ainda não foram resolvidas com a prefeitura, que alega falta de recursos. Rodoviários que trabalhavam na empresa já cobram rescisões e direitos trabalhistas desde 2021.

Comparando o antigo problema com a situação desta quinta, o presidente do sindicato diz que "se a gente não tomar cuidado, a Plataforma será a próxima CSN".

"O prefeito nos disse que em 60 dias nos ajudaria a resolver todos esses problemas, mas já se passaram dois anos. Diversas manifestações na cidade dos próprios trabalhadores. Eles fazem porque a panela emborcou, eles estão com fome. Os que moravam de aluguel tiveram que devolver suas casas, outros com carros financiados perderam seus veículos. Então é preciso que se resolva esse problema da CSN também", lamentou.

Ainda conforme Fábio Primo, mais assembleias estão previstas para sexta-feira (27), incluindo na garagem do BRT. Apenas uma reunião com a prefeitura, ainda nesta quinta, poderia evitar o movimento.

exclamção leia também